Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Não é de hoje que os seres humanos vêm sofrendo e passando por diversas transformações não só na maneira de viver, mas também de executar os afazeres diários. E um problema muito comum, que tenho certeza que você já sentiu pelo menos uma vez na vida são as temidas dores

Por isso te pergunto nesse momento: você já parou para pensar de que forma essa sensação incômoda pode afetar e prejudicar o seu desempenho? Como se sabe, hoje existem inúmeras maneiras de melhorar e colocar um basta nesses desconfortos. 

Na maioria das vezes esse mecanismo acontece devido a alguma falha em nosso organismo e da forma que nos posicionamos em nosso dia a dia, diante de tarefas relacionadas a trabalho ou serviços domésticos. Neste momento aparecem os primeiros alertas de que algo não está funcionando de forma correta.

No passado, as pessoas pouco sofriam com esse tipo de situação e raramente ficavam doentes. Já nos dias de hoje vivemos em um ambiente recheado de problemas, levando os indivíduos a adoecerem com mais facilidade e muitas vezes acabam sendo reféns de si mesmo. 

Um dos problemas mais falados mundialmente é a chamada dor. Esta por si só pode ser iniciada de forma leve, e se não for dada a devida importância, o perigo pode estar próximo.

Mundialmente estima-se que 1,5 bilhão de pessoas sofram diariamente com dor crônica. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 32% da população do planeta vivencia esse mal. 

Só no Brasil a projeção é que 60 milhões de cidadãos encaram algum tipo de dor, caracterizada por um incômodo que persiste e é recorrente por mais de três meses. 

Diante desse fato, pude notar que as dores só vêm aumentando nos últimos anos e este acúmulo é devido às grandes transformações rotineiras que estamos passamos, não só em relação ao nível pessoal, mas principalmente no trabalho, momento em que o estresse e a depressão são fatores primordiais para doenças mentais.

Baseado nesse cenário fatídico e crítico, vale ressaltar que os cuidados têm de ser prontamente avaliados e estudados para proporcionar a essas pessoas uma melhor qualidade de vida. 

Agora que você já sabe um pouquinho sobre esse mal, vamos entender o verdadeiro significado da dor para o nosso corpo? Então continue a leitura e descubra tudo o que você precisa saber sobre os diferentes tipos de desconforto!

Qual a importância do papel do Fisioterapeuta nas dores?

Além do médico dar o primeiro passo e chegar em um diagnóstico exato da sintomatologia apresentada pelo paciente, outro profissional mais adequado, preparado e capacitado para dar o pontapé inicial para esse tipo de situação é o fisioterapeuta.

Os profissionais da área têm o papel de realizar uma avaliação minuciosa para identificar a queixa exata do paciente e elaborar um protocolo de condutas específicas, traçando metas e objetivos para a redução do quadro clínico e fortalecimento da região em que o desconforto é apresentado. 

Por isso, o principal objetivo é impedir que a doença progrida e evitar novos incômodos. Além disso, é necessário que o fisioterapeuta oriente sobre a maneira correta para que os pacientes realizem suas atividades diárias sem causar nenhum tipo de desconforto ou compressão dos movimentos.

O que é dor e qual seu significado? 

A dor é uma sensação complexa e varia muito de pessoa para pessoa. Nem sempre o que é dor para alguém é para outro. Portanto, trata-se de uma experiência única e completamente individual. Vale destacar que o momento que cada pessoa está passando e os sentimentos naquela ocasião podem aumentar ou diminuir os incômodos. 

Além disso, a dor é uma resposta de defesa do organismo, mas ela também pode funcionar de maneira errada ou exagerada, caracterizando uma doença: a dor crônica. Quando o cérebro interpreta que a dor não está sendo “resolvida”, ele fica ainda mais “sensível” aos estímulos, captando-os de forma intensa. 

De acordo com a Associação Internacional para o Estudo da Dor, essa reação pode ser definida como “uma experiência sensorial e emocional desagradável, associada a um dano real ou potencial dos tecidos, ou descrita em termos de tal dano”. Isso quer dizer que a dor é uma sensação desagradável que indica risco para alguma parte do organismo.

Por que sentimos dores?

Para que você possa entender melhor sobre o porquê do ser humano sentir dor, é importante ressaltar que a dor é de origem Central e Periférica, e é a responsável por gerar estímulos e nos alertar que a dor existe e que algo precisa ser “corrigido” imediatamente. 

As dores são sensações que se manifestam por meio de estímulos enviados pelos nervos ao cérebro e este, por sua vez, envia os estímulos ao córtex motor para que seja liberada alguma reação instantânea. Essa reação liberada pelo córtex motor é enviada para o local da dor por meio dos nervos. 

A sensação de dor é determinada em uma pessoa a partir das vivências logo nos primeiros dias de vida, ou seja, a primeira lesão que estimulou seu organismo a reagir liberando tal sensação foi determinante para a percepção desse sentimento no corpo. Dessa forma, pode-se dizer que a dor é uma sensação subjetiva. 

Portanto, as dores estão relacionadas à percepção dos hábitos diários, longevidade, mudanças de ambiente, além de ser caracterizada por sua frequência, natureza, causas, localização, duração, qualidade e intensidade

Os tratamentos da dor são inúmeros e tudo vai depender de seu estímulo gerador. Destacamos o uso de medicamentos para alívio do quadro álgico, fisioterapia (Termoterapia, Crioterapia, Massagens), Pilates, acupuntura, cinesioterapia e outros. 

Para prevenir algumas sensações desagradáveis, algumas práticas simples como aliviar as tensões do dia a dia, manter a postura correta, dormir bem, fazer atividades físicas sem exagero e alongar o corpo quando se permanece muito tempo em uma só posição são determinantes para prolongar a qualidade de vida e o bem-estar.

Existem vários casos que estimulam nosso organismo a liberar reações dolorosas como: 

  • Nervosismo;
  • Ressaca; 
  • Postura incorreta;
  • Deitar ou sentar de mau jeito;
  • Exagerar nos exercícios físicos;
  • Permanecer por muito tempo em uma mesma posição;
  • Esforço repetitivo;
  • Estresse. 

A dor patológica é definida como alterações dinâmicas no processamento da informação nociva, estando localizada no Sistema Nervoso Periférico e Central.

Como tratar as dores?

É importante tratar a dor crônica, pois ela pode gerar uma queda na qualidade de vida, desânimo, depressão, irritabilidade, baixa produtividade no trabalho, dentre outros fatores. 

Os principais tratamentos baseiam-se em:

O que os profissionais da saúde devem fazer para amenizar as dores?

Não dá para nós, profissionais da saúde, ficarmos parados e ver mais pessoas sofrerem e serem acometidas com esse mal. Por isso, é hora de dar um grande passo para a prevenção, cuidados e orientações no alívio da dor, dar funcionalidade nos movimentos diários e longevidade na qualidade de vida. 

O desenvolvimento do Programa Cuidando de sua Coluna tem como finalidade mostrar a toda sociedade, independente de qual for a classe social que, ao longo de minha vivência e experiência profissional, pude notar que as queixas de doenças degenerativas da coluna vertebral vêm crescendo de forma exorbitante. 

Normalmente a faixa etária mais atingida eram pessoas que apresentavam em torno de 45 anos de idade. Hoje esse cenário vem atingindo indivíduos mais novos como crianças, adolescentes e jovens adultos. 

O objetivo desse Programa também é enfatizar a importância das orientações por Fisioterapeutas, Nutricionistas e Educadores Físicos para o fortalecimento de toda musculatura que envolve a coluna vertebral. 

Por isso é sempre importante ficar atento que o primeiro lugar a ser afetado são os nossos músculos, já que é através desse enfraquecimento que as outras regiões começam a dar sinal de que o nosso corpo está sofrendo problemas físicos. 

Mesmo tendo a consciência de que os músculos abdominais ativados e glúteos bem definidos são bonitos e tragam maior autoestima, ainda devemos praticar exercícios voltados para correções e orientações posturais, que ativem a respiração, além de alongamentos e fortalecimentos de toda a cadeia muscular. 

Todo esse conjunto bem trabalhado irá minimizar o quadro álgico e diminuir o agravamento ou surgimento de novas lesões. 

Portanto, nós, profissionais da área da saúde temos o dever de promover uma vida mais segura, feliz e saudável.

Conclusão

Vejo que o grande desafio do mundo moderno é mostrar às pessoas o quanto é importante os cuidados com as diversas dores que o nosso corpo manifesta, afetando diretamente a vida de milhares de muitos e sendo o maior causador de problemas relacionados à depressão e afastamentos no trabalho

A má postura está presente em diversas atividades que realizamos no dia a dia, como dirigir, trabalhar, recolher objetos ou caminhar, e é preciso estar atento a todas as ações. 

A postura correta faz diferença na prevenção de dores nas costas ou problemas na coluna. Além disso, ter bons hábitos e sem exageros irá colaborar com esse processo para uma saúde de excelência.

Também não podemos esquecer que temos que associar os exercícios como forma de complementação, desde que seja feito de forma correta e com orientações de profissionais qualificados para que não cause nenhum tipo de desconforto posteriormente. 

Todo esse cuidado é de extrema importância para promover uma saúde ampla e completa. Por isso, não deixe de executar os exercícios de forma constante. Seu corpo agradece e evita o agravamento de lesões já existentes e que futuramente possam vir. Uma postura ereta exala muito mais que elegância, potencializa a sua saúde!