Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Também conhecida como dorsalgia, dor nas costas é um problema muito comum. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), este problema afeta até 80% da população brasileira.

A dor nas costas pode ser causada por diferentes motivos e ocorrer de várias maneiras. A dor pode ser localizada em alguma parte das costas ou músculo específico; nas costas inteiras, de forma generalizada ou vir dos ossos, vértebras, ou nervos.

A duração do incômodo pode ser longa ou curta. Ainda assim, pode ser intensa ou leve. Porém, uma coisa é certa: quase toda dor nas costas é plenamente tratável com exercícios. Portanto, saiba desde já: faça exercícios para o tratamento de dor nas costas!

Neste artigo vamos explicar mais sobre:

  • Causas da dor nas costas; 
  • Tratamentos para dor nas costas; 
  • Exercícios indicados para dor nas costas;
  • Como aliviar a dor nas costas.

Vamos lá?

Quais são os tipos de dor nas costas?

A dor nas costas, como já falado acima, pode se apresentar de diferentes formas. Ela pode ser de carácter neoplásico, metabólico, degenerativo, traumático, estrutural e infeccioso.

As dores derivadas de caráter neoplásico surgem pelo aparecimento de tumores que podem ser benignos, malignos primários (que surgiram na coluna vertebral) ou metastáticos (que surgiram a partir da ramificação de um tumor maligno que afeta outra parte do corpo).

Já a dor nas costas de caráter metabólico é comum estar relacionada à osteoporose. Caracteriza-se na diminuição da massa óssea por razões metabólicas. Isso significa que as células do tecido ósseo perdem a capacidade de reprodução que possuíam.

A dor nas costas causada por problemas degenerativos consiste no envelhecimento de partes da coluna. Com o passar dos anos, ocorrem alterações degenerativas progressivas dos discos intervertebrais, corpos vertebrais, facetas articulares e estruturas relacionadas aos ligamentos.

Outro fator que comumente causa dor nas costas são aqueles decorrentes de traumas. Nessa categoria se incluem as distensões dos músculos e ligamentos, as contusões e as fraturas

O trauma pode ser causado por um esforço físico exagerado ou ainda por uma forte contusão. Há também fatores estruturais que causam dores nas costas, caracterizando este tipo de dor como dor mecânica. Este incômodo é aliviado com o repouso. 

Além disso, grande parte das dores nas costas resultam de má postura e fraqueza muscular. Portanto, a boa notícia é que a maioria das dorsalgias são plenamente tratáveis com exercícios simples do dia a dia.

Existem também casos em que a dor nas costas vem de um fator estrutural mas causada por uma lesão traumática. Por exemplo, casos de sequelas de fraturas, instabilidades ou deformidade física decorrente do trauma.

Por fim, existe o fator infeccioso. Nesse caso, a dor está relacionada a uma infecção por bactérias, fungos ou micobactérias que podem comprometer o tecido ósseo, discal ou nervoso.

Cada fator causador de dor nas costas pode estar relacionado à uma causa diferente e deve ser tratado da forma correta, a fim de evitar a progressão do problema.

Por que temos dor nas costas? Quais as principais causas?

Dentre as principais causas de dores nas costas, estão:

  • Alterações musculoesqueléticas relacionadas à mudanças de postura em atividades diárias de trabalho, exercícios ou estudo;
  • Sedentarismo e falta de atividade física;
  • Má postura;
  • Lesões traumáticas como fraturas, luxações de vértebras ou costelas;
  • Lesões inflamatórias;
  • Hérnia de Disco;
  • Osteoporose;
  • Alterações degenerativas;
  • Osteomielite vertebral;
  • Anormalidades congênitas da coluna ou tórax: escoliose, hipercifose e hiperlordose;
  • Artrite infecciosa;
  • Doença de paget (osteíte deformante);
  • Lesões vertebrais decorrentes de tumores;

imagem-whats.jpgA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Alteração musculoesquelética 

A causa de dor nas costas mais frequente é aquela provocada por postura incorreta, ou seja, alteração musculoesquelética. 

É muito comum desenvolvermos maus hábitos relacionados à postura. Permanecemos horas de trabalho de pé ou sentados, na mesma posição. Além disso, em momentos de lazer ou estudo, tendemos a descuidar da postura.

A postura correta é compreendida como uma relação harmoniosa entre os músculos, as articulações e os ossos. Como essas estruturas possuem funções básicas de estabilizar o corpo, o desalinhamento entre eles pode causar dores nas costas e lesões a longo prazo. Dessa forma, a má postura prejudica a coluna vertebral e o eixo do corpo.

Por isso, é preciso ficar atento quanto à maneira correta de sentar e até mesmo para dormir, a fim de evitar o desalinhamento da coluna. Ainda que você não sinta dor nas costas imediatamente, a má postura pode desenvolver problemas a longo prazo.  

Lesões traumáticas (fraturas e luxações)

fratura-dor-nas-costas.jpg

Outra causa de dor nas costas muito comum é decorrente de lesões originadas por traumas. Essas lesões podem ser fraturas ou luxações

As fraturas são rupturas dos ossos e vértebras que se não forem identificadas e tratadas corretamente, podem causar dores crônicas e problemas mais sérios. Essas rupturas podem ser responsáveis por perfurações de outros órgãos, lesões na medula espinhal, hemorragias internas, infecções, entre outros problemas.

Já a luxação é um deslocamento dos ossos que formam uma articulação. O que causa a dor nessas situações é que os ossos saem da posição natural, podendo ainda provocar inchaço e limitação do movimento. 

Tanto as fraturas quanto as luxações comumente ocorrem devido à fortes contusões. O diagnóstico de ambas situações deve ser preciso para que o tratamento seja correto e eficaz, a fim de não desencadear problemas posteriores.

Lesões inflamatórias 

As lesões inflamatórias, diferentemente das traumáticas, são causadas a partir de uma entorse ou distensão dos tecidos mais flexíveis (ligamentos, articulações, etc) que geram uma inflamação. 

A distensão ocorre quando um ligamento é sobrecarregado ou desgastado e, por isso, inicia um processo inflamatório. 

As entorses, por sua vez, são deslocamentos dos tecidos flexíveis. Estas lesões ocorrem em função de movimentos de torção e flexão da coluna e, assim como as distensões,  dão início a um processo inflamatório. 

A inflamação do tecido causa dor e espasmos musculares, o que pode debilitar os movimentos do paciente. Os ligamentos são feixes de tecido fibroso fortes que unem os ossos dando segurança e estabilidade para as vértebras Porém, este processo pode limitar os movimentos físicos do indivíduo.

Já a dor inflamatória possui características diferentes das dores mecânicas da coluna e são identificadas da seguinte forma:

  •   Observadas em pessoas de idade inferior a 40 anos, ou seja, se inicia em idade jovem e adulta;
  •   A dor é gradualmente agravada;
  •   Exercícios ajudam a melhorar os sintomas de dor lombar;
  •   A dor não melhora com o repouso, diferentemente da dor mecânica;
  •   A dor pode se manifestar a noite de forma intensa, podendo até acordar a pessoa na segunda metade da noite;
  •   Apresenta rigidez na parte da manhã, podendo ter duração superior a 30 minutos;
  •   Dor persiste por mais de 3 meses;
  •   Dor na região dos glúteos (nádegas) de forma alternante.

A dor inflamatória pode ser causada também por outras motivações e não por lesões. São elas:

  • Doenças autoimunes – atacam o próprio organismo como se fosse um corpo estranho;
  • Espondilite Anquilosante (EA) – artrite inflamatória que afeta as articulações da coluna, causando rigidez e dor lombar;
  • Espondilartrite Axial sem evidência radiográfica de EA – similar a Espondilite Anquilosante, porém não é detectada em radiografia;
  • Artrite Psoriática – inflamação que se inicia na pele e depois segue para as articulações;
  • Artrite Reativa – iniciada com inflamação nos olhos e no aparelho urinário;
  • Artrite Enteropática – iniciada com uma inflamação no intestino;
  • Artrite Reumatóide – iniciada na própria articulação.

Hérnia de Disco  

mulher-com-dor-nas-costas-cervical

A hérnia de disco ocorre quando há um deslocamento do núcleo gelatinoso de um disco vertebral através de uma fissura ou desgaste no disco. Esse deslocamento causa dor, podendo influenciar na sensibilidade das coxas, perna e pé. 

Este problema geralmente é crônico, pois os músculos que protegem a coluna vertebral começam a ficar fracos e atrofiar. Esse tipo de lesão dificilmente pode ser revertida.

Existem três tipos de hérnia de disco e elas são diferenciadas pelo tipo de deslocamento do núcleo gelatinoso do disco. São estas:

  •   Protrusas: ocorrem quando o disco se alarga e mantém o líquido gelatinoso em seu centro. Nesse caso, a hérnia surge porque a base do disco se avoluma, ficando mais larga que o diâmetro original. Neste processo pode ocorrer o toque das paredes do disco em áreas de grande sensibilidade nervosa, o que dá origem à dores e incapacidade motora.
  •   Extrusas: nestes casos, a hérnia surge por causa do rompimento do anel fibroso do disco e o conteúdo gelatinoso do núcleo passa por meio de uma fissura na membrana do anel. Este processo gera a perda do contato dos fragmentos extravasados com o meio interno. Situações como esse são bastante comuns e afetam os discos intervertebrais da coluna, os quais funcionam como amortecedores do impacto recebido pela coluna.
  •   Sequestradas: ocorrem quando há o rompimento da parede do disco e o líquido gelatinoso se desloca para dentro do canal da medula, para cima ou para baixo, causando pressão na raiz nervosa, inflamação e compressão contínua. Essa hérnia provoca a conhecida dor química, dor causada pelas propriedades químicas ácidas do núcleo gelatinoso e ocorridas principalmente quando esse núcleo está fora do seu lugar de origem.

Os sintomas de hérnia de disco podem ser um pouco diferentes de outras dores nas costas comuns. É importante ressaltar que a hérnia costuma surgir na região lombar ou cervical, portanto, alguns dos sintomas serão específicos para certas regiões. 

São sintomas comuns que apontam para a existência de hérnia de disco:

  • Dor nas costas prolongada por mais de três meses;
  • Entortamento da coluna quando está numa crise;
  • Dor que piora durante o sono e permanece quando acorda;
  • Piora na dor ao ficar em pé com a perna estendida;
  • Dificuldade em permanecer sentado por mais de 10 minutos;
  • Diminuição da força de uma ou das duas pernas;
  • Impossibilidade de ficar de ponta de pé com uma das pernas;
  • Formigamento, dor e dormência nos membros (quando a hérnia é na região da cervical esses sintomas costumam se apresentar nos braços e mãos, mas se a hérnia é na região lombar, esses sintomas serão sentidos nas pernas e pés);
  • Extrema dificuldade para segurar a urina;
  • Diminuição da produtividade e desânimo para realizar tarefas do dia a dia;
  • Dores de cabeça ligadas às dores na região da nuca, espalhando-se para a região dos ombros;
  • Dificuldades para se locomover ou levantar algum objeto.  

Osteoporose

A osteoporose é uma doença silenciosa em que ocorre a diminuição progressiva da densidade óssea. Naturalmente, há renovação celular dos ossos, contudo, a osteoporose surge quando o metabolismo não repõe a massa celular que foi descartada, deixando os ossos porosos o que provoca dor crônica e possíveis fraturas.

A dor nas costas causada por osteoporose acontece justamente pelo enfraquecimento do osso e a porosidade dele. Ainda, os incômodos podem ser causados por fraturas decorrentes da fragilidade óssea. 

A osteoporose é conhecida como uma doença silenciosa porque não possui muitos sintomas que ajudem no diagnóstico precoce da doença.Em geral, essa patologia só é diagnosticada a partir da ocorrência de uma fratura.

A osteoporose é mais comum entre as mulheres, podendo ocorrer antes dos 40 anos de idade devido à alterações hormonais relacionadas à menopausa. A doença se desenvolve de forma mais tardia nos homens por causa da maior quantidade de testosterona produzida pelo organismo masculino. Este hormônio protege o corpo contra o desgaste ósseo.

Além disso, a osteoporose pode estar relacionada à doenças renais e endócrinas ou a uso de algum medicamento. Também, esta condição pode ser causada por tabagismo, sedentarismo, predisposições genéticas ou carência de vitamina D e cálcio no organismo.

Alterações Degenerativas 

Geralmente, as alterações degenerativas estão relacionadas ao processo de envelhecimento, podendo também estarem relacionadas a patologias como a doença degenerativa discal, osteoartrite (artrose) facetária, estenose espinhal (canal estreito), espondilolistese degenerativa e escoliose degenerativa.

O processo de envelhecimento gera alterações que degeneram partes da coluna como os discos ou vértebras. Essa degeneração acontece por desgaste e envelhecimento das células. 

A doença degenerativa discal, como o próprio nome diz, está relacionada aos discos desgastados que deixam de cumprir seu papel de amortecimento. Essa condição pode causar hérnia de disco, como já foi mencionado anteriormente.

A osteoartrite facetária, também conhecida como artrose facetária, ocorre quando há um desgaste ou degeneração das facetas que levam a um processo inflamatório. As facetas são articulações parecidas com os discos entre as vértebras e servem como amortecedores de impacto.

A estenose espinhal se caracteriza pelo estreitamento do canal espinhal. Esta complicação pode causar a compressão dos nervos dentro da coluna vertebral e afetar a medula espinhal. Por isso, esta doença também é conhecida como “canal estreito”. A esteonose espinhal costuma ocorrer no pescoço e na região lombar e pode ser agravada pela idade.

O canal espinhal pode se estreitar pelo crescimento excessivo do osso ou tecido adjacente. Assim, os ligamentos da coluna vertebral podem se tornar mais grossos e rígidos, ou ainda, os ossos e articulações podem aumentar de tamanho pela osteoartrite. Portanto, essas situações podem gerar esporões ósseos, dilatação ou alteração do tamanho dos discos e, por fim, pode ocorrer o deslocamento das vértebras para fora do eixo correto.

Portanto, a dor e o desconforto da estenose espinhal são causados pela pressão nos canais nervosos e a interferência na medula espinhal. Outros sintomas que surgem são a “dor alfinetada” na perna, coxas ou nos glúteos. Além disso, pode ocorrer a sensação de dormência e fraqueza muscular, bem como o comprometimento do controle da bexiga e do intestino.

Já a espondilolistese é caracterizada pelo deslizamento de duas vértebras da coluna, em que uma fica sobreposta a outra. Este movimento pode ocorrer para frente, sendo chamado de retrolistese, ou para trás, conhecido como anterolistese. 

Existem diversos tipos de espondilolistese e eles são diferenciados pela fator causador da doença. 

A espondilolistese degenerativa é causada por alterações degenerativas do processo de envelhecimento. Mas os outros tipos de espondiloliste são: 

  • Ístmica: formada por defeito vertebral ou má formação; 
  • Traumática: gerada por quedas e acidentes que resultam em fraturas ou traumas na região, levando ao deslizamento das vértebras;
  • Displásica: costuma ocorrer na região lombar, entre as vértebras L5 e S1;
  • Patológica: mais rara, é resultado de uma doença óssea ou tumor na região;

Por fim, a escoliose degenerativa ocorre quando há uma degeneração de discos da coluna vertebral e de suas articulações. Esta condição resulta do avanço da idade do indivíduo e do envelhecimento das partes do corpo. Este processo causa o deslocamento do eixo da coluna, gerando uma inclinação da para frente ou para trás ou ainda para algum dos lados.

A escoliose também pode ser causada por outros fatores e é classificada em diferentes tipos:

  • Escoliose congênita (de nascença): quando há uma má formação ou divisão das vértebras;
  • Escoliose neuromuscular: originada por sequelas de doenças neurológicas, como no caso da poliomielite e da paralisia cerebral;
  • Escoliose idiopática: curiosamente, a causa desse tipo de escoliose é desconhecida, trata-se do tipo mais comum;
  • Escoliose pós-traumática: sua origem se dá a partir de doenças do tecido conjuntivo e/ou anomalias cromossômicas.

Mesmo quando há alguma doença degenerativa, a dor nas costas é basicamente causada pelo envelhecimento de partes da coluna e células. Nesses casos, a prevenção acaba sendo a melhor alternativa para evitar esses problemas na velhice.

Osteomielite Vertebral 

A osteomielite vertebral, também conhecida como espondilodiscite ou infecção do espaço discal, se caracteriza pela infecção nos ossos causada por bactérias, micobactérias ou fungos. 

Quando um osso está infectado, pode ocorrer o inchaço da parte interna (medula óssea). Este inchaço pode pressionar a parede rígida externa do osso e comprimir os vasos sanguíneos da medula óssea, reduzindo ou cortando o fornecimento de sangue ao osso. Portanto, este movimento pode causar a morte das células do osso.

Em regra, os ossos estão bem protegidos de infecções, todavia existem três formas de ocorrer infecção: 

  1. Pela corrente sanguínea, em caso de fraturas expostas, cirurgia ou perfuração do osso por algum objeto;
  2. Por invasão direta;
  3. Infecção em estruturas próximas como as articulações naturais e artificiais ou em tecidos moles.

A dor nas costas causada pela osteomielite vertebral não possui nenhuma característica que possa diferenciar a dor como sintoma de outras causa. Porém, pode haver vermelhidão no local, calor, inchaço, abscesso, podendo ainda apresentar sintomas generalizados como febre, calafrios e mal-estar.

Anormalidades Congênitas da coluna ou tórax

As anormalidades congênitas são alterações funcionais ou estruturais do desenvolvimento fetal cuja origem ocorre antes do nascimento, de forma que no momento da formação da coluna pode ocorrer a falta parcial ou total da formação dos ossos da coluna (vértebras) ou a da separação adequada destes ossos.

As anormalidades congênitas podem desencadear escoliose, hipercifose e hiperlordose

escoliose-dor-nas-costas.jpg

A escoliose congênita já foi anteriormente explicada, mas reforçando a explicação: a escoliose se caracteriza pelo deslocamento do eixo da coluna vertebral, causando uma inclinação para frente, costas ou laterais e se difere das demais pela sua origem, antes do nascimento do indivíduo.

A hipercifose congênita é a má formação que dá origem a uma curvatura mais acentuada da coluna, ou seja, há um abaulamento da parte torácica da coluna o que faz a cabeça, o pescoço e os ombros da pessoa sejam projetados para frente, favorecendo a lordose cervical (corcunda).

A deformação na curvatura da coluna que gera a hipercifose pode apresentar como sintomas além da dor nas costas (que nem sempre é presente), a fadiga, a sensibilidade e a rigidez da coluna vertebral.

Artrite infecciosa

A artrite infecciosa é uma inflamação em uma articulação causada por um agente infeccioso, mais comumente por um fungo ou bactéria. Esse agente infeccioso afeta a cartilagem dentro da articulação e pode atrapalhar o seu funcionamento.

Há casos em que a artrite se desenvolve em decorrência de infecções que não envolvem os ossos e articulações, mas sim, outras partes do corpo como nos órgãos genitais, ou digestivos.

Nesses casos, a artrite se dá por uma reação do corpo da pessoa contra essa infecção, caracterizando a artrite reativa. Porém, será uma causa de artrite inflamatória e não infecciosa, pois o agente infeccioso não contamina o local da artrite.

Doença de Paget (osteíte deformante)

A doença de Paget, também chamada de osteíte deformante, é uma doença que afeta os ossos causando o aumento das áreas de reabsorção óssea e levando à desestruturação da arquitetura nos tecidos ósseos acometidos. Provoca também uma deformação do osso pois há um aumento do volume do osso e maior fragilidade dele.

Os sintomas comuns são dor nas costas (quando a osteíte afeta os ossos da coluna vertebral), fraturas, deformidades ou compressão de estruturas vasculares e nervosas. 

Há muitos casos em que não há qualquer sintoma e, geralmente, a doença se apresenta com o avanço da idade.

imagem-whats.jpgA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Lesões vertebrais decorrentes de tumores

As lesões, como  já demonstrado, podem ter causas traumáticas, inflamatórias, infecciosas e também decorrentes de tumor. 

Os tumores que se localizam na região da coluna vertebral são massas que crescem desordenadamente dentro ou em torno da coluna, produzindo compressão ou destruição óssea, dos nervos ou da medula espinhal.

Esse crescimento desordenado surge no processo de multiplicação das células e se dividem em benignos ,quando apenas tem seu crescimento aumentado formando uma lesão ou malignos, quando essa massa apresenta caráter infiltrativo, destruição dos tecidos ou invasão de outros órgãos a distância.

Portanto, essas são as principais causas de dor nas costas. Sendo assim, percebe-se que a dor isolada não é capaz de apontar qual a causa do problema, é sim necessário fazer uma consulta com um profissional especializado para identificar o problema e tratá-lo de forma adequada.  

Como evitar a dor nas costas?

Para cada causa de dor nas costas, um comportamento deve ser tomado a fim de evitar este incômodo.

O primeiro hábito que deve ser criado a fim de evitar dores nas costas é a boa postura. Manter a postura correta quando ficar muito tempo sentado, de pé ou quando for dormir é essencial. A postura correta evitará problemas com alterações musculoesqueléticas e diminuirá o agravamento de problemas preexistentes (má formação congênita, desgastes, envelhecimento de tecidos).

Além da boa postura, é necessário manter uma alimentação saudável para não haver problemas relacionados à deficiência de vitaminas e minerais.  Estes componentes são necessários para a composição da estrutura óssea e a reconstrução celular dos tecidos. 

alimentação-saudavel.jpg

Agora, mais importante que tudo isso, é importante realizar exercícios e alongamentos corretos, de preferência todos os dias. E quando falamos em exercícios, estamos falando de 10 minutos por dia. Não precisa ser mais do que isso.

Estudos afirmam que o exercício físico com o alongamento adequado pode ser mais eficaz que algumas medicações para dor nas costas.

É muito comum acontecer o desgaste das estruturas amortecedoras (cartilagem, articulações, discos) por causa dos impactos recebidos por elas. Portanto, a prática de atividades físicas de fortalecimento de músculos da região lombar é essencial para manter a estrutura ilesa por mais tempo. 

Com o fortalecimento dos músculos, as articulações e partes amortecedoras recebem menos impacto e, assim, sofrem menos desgaste. A prática de exercícios também diminui o estresse, que por sua vez, pode causar alterações metabólicas e problemas na absorção de nutrientes pelo corpo. Este processo pode até prejudicar a reconstrução celular das células, causando o envelhecimento e desgaste das partes da coluna.

Outro cuidado que deve ser tomado para evitar lesões e dores é a prevenção de lesões traumáticas.

Procure sempre usar sapatos antiderrapantes, evitar quedas, tomar cuidado no dia a dia com o trânsito e outros momentos em que há risco de  acidentes.

Além disso, consultas médicas e exames periódicos são muito importantes. Exames podem diagnosticar alguma doença silenciosa e mostrar alterações metabólicas, deficiência de nutrientes essenciais. 

Por isso, outra forma de evitar dor nas costas é consultar regularmente fisioterapeutas especialistas, antes mesmo da dor aparecer ou logo depois que sentir o sintoma.  

Como preservar sua coluna no dia a dia?

idoso-com-dor-nas-costas.jpg

No dia a dia, pequenas ações também podem prevenir dores nas costas. Por exemplo, quando você pegar objetos no chão, não se deve realizar a flexão de coluna. A forma correta é se agachar para pegar o objeto. Esse pequeno gesto evita a distensão de algum músculo ou ligamento e também o deslocamento de alguma vértebra.

Um fisioterapeuta consegue te orientar tranquilamente sobre essas ações e não precisa nem estar presente com você. Hoje em dia existem muitos tratamentos baratos por menos de R$20 reais por mês em que um fisioterapeuta te orienta virtualmente. Um exemplo de sistemas como esses é o Programa de Tratamento de Dor nas Costas.

Outra dica é: quando você levantar objetos pesados, o ideal é não ultrapassar a altura da cintura, pois o movimento e a força usados para levantar o objeto acima deste nível pode gerar lesões. 

A fim de evitar o desgaste de alguma parte da coluna é importante evitar carregar pesos de apenas um lado do corpo. Devemos procurar sempre distribuir o volume de peso dos dois lados do corpo. 

Quanto ao alinhamento e a postura, deve-se sempre manter a cabeça no mesmo alinhamento da coluna. Essa dica deve ser seguida independentemente se você estiver em pé e sentado, ela serve para aliviar as tensões musculares na região do pescoço e também evitar a formação de “corcunda”.

Tanto em casa, quanto no trabalho é necessário utilizar uma cadeira anatômica, que apoie corretamente toda a coluna. Como já foi explicado anteriormente, a má postura pode desencadear diversos problemas, que se não tratados corretamente, podem não ter cura. 

Assim, ao sentarmos, devemos nos posicionar de uma maneira em que que os joelhos fiquem mais altos que o quadril e, caso seja necessário,  um apoio para os pés é bem vindo. Além disso, a cadeira deve ter apoio lateral para os braços, que precisam repousar de forma confortável sobre eles.

Mesmo com os devidos cuidados, ficar na mesma posição por muito tempo pode causar estresse na estrutura da coluna. Portanto, ao trabalho no escritório, deve-se fazer um intervalo a cada duas horas para caminhar e alongar o corpo.

Novamente, indicamos: o exercício físico de 10 a 15 minutos por dia, mesmo feito em casa, pode ajudar muito com as suas dores nas costas.

Além dos cuidados com postura no trabalho, ao dirigir também devemos prestar atenção na nossa coluna. Devemos sempre empurrar o assento de forma que os joelhos fiquem em um nível acima da altura dos quadris, pois isso reduz a tensão das costas e dos músculos dos ombros. 

Já quando for o caso de viagens longas, é importante parar a cada uma ou duas horas e caminhar, a fim de aliviar a tensão muscular.

Esses cuidados devem ser tomados no dia a dia, mas também existem detalhes a serem observados serem tomados durante o sono. É importante garantir um descanso completo e evitar problemas relacionados à coluna vertebral e dores nas costas. 

Para isso, é necessário que o colchão seja firme, para que a coluna não fique torta quando estiver relaxada e. Além disso, sempre que possível, evite dormir em redes e sofás.

Tratamento para dor nas costas

O tratamento para dor nas costas pode variar conforme a causa da dor. Pode envolver apenas uma medida, como o uso de medicamentos, fisioterapia, medidas homeopáticas, acupuntura ou pode também envolver uma combinação de medidas. Algumas dessas alternativas são o uso de medicamentos conciliados à fisioterapia e, em casos mais graves, envolvendo até intervenção cirúrgica.

Entretanto, aqui vai uma notícia boa: a grande parte das dores nas costas podem ser resolvidas com exercícios simples, que você pode fazer na sua casa mesmo. Se tiver interesse, clique aqui.

Tratamento com fisioterapia e exercícios

A maioria dos problemas que causam a dor nas costas podem ser tratados com a prática de exercícios físicos de fortalecimento e de alinhamento da coluna.

No caso de dor causada por alteração musculoesquelética e por má postura, o tratamento mais indicado é a correção da postura através de sessões de fisioterapia avançada. Estas sessões podem envolver exercícios estáticos conhecidos como RPG – Reeducação Postural Global. yoga-em-casa-scaled.jpg

Outro tratamento indicado para este problema é a prática de Pilates e yoga, atividades que também ajudam no alinhamento da coluna e na correção da postura do indivíduo. Em alguns casos, o uso de acessórios ortopédicos, como coletes, ajudam a mantermos uma postura ereta durante o dia.

Tratamento online com exercícios e alongamentos

Este tipo de tratamento compreende uma série de exercícios e alongamentos em vídeo, os quais você recebe de um fisioterapeuta especialista e faz na sua própria casa. 

Os resultados surpreendem muito! Veja o depoimento de algumas pessoas que fizeram esse tratamento aqui. 

imagem-whats.jpgA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Cirurgia e procedimentos invasivos

São poucos os casos que necessitam de um tratamento mais invasivo. Não se assuste! 

Há vários tipos de cirurgia da coluna e elas são indicadas para diferentes tipos de tratamentos. Algumas das patologias que precisam de intervenção cirúrgica são: problemas no nervo ciático; hérnias de disco; escolioses; doenças degenerativas; fraturas na coluna e tumores. 

Existem ainda as cirurgias minimamente invasivas, muito recomendadas pois são  menos agressivas e transmitem maior segurança para o paciente, além de diminuírem o risco de complicações. 

Algumas destas modalidades de cirurgias mais comuns são:

  • Microdiscectomia endoscópica: indicada para retirada de hérnia de disco; 
  • Laminectomia lombar: também indicada para retirada de hérnia de disco; 
  • Artrodese minimamente invasiva: quando ocorre a fusão de duas vértebras;
  • Artrodese com parafuso percutâneo: indicada para a fixação de duas vértebras. 

O tipo de cirurgia vai depender do fator que causa a dor nas costas.

Acupuntura

tratando-dor-nas-costas-com-acupuntura-1.jpg

Este é o procedimento em que são inseridas finas agulhas por alguns minutos nos locais identificados por quem sofre da dor. Este procedimento só acontece depois da minuciosa análise, por parte do especialista, das causas e fatores da dor nas costas do paciente. 

A acupuntura age da seguinte maneira no organismo: há oposição entre duas forças antagônicas que devem ser equilibradas através da intensidade da força. A acupuntura não trata uma doença específica, mas sim a pessoa doente e todos os fatores que levaram aquela pessoa a adoecer.

Durante este tratamento é comum a sensação de bem estar e relaxamento. A estimulação elétrica também pode ser utilizada através das agulhas.

Osteopatia

Trata-se de um tratamento recente, que surgiu nos Estados Unidos, criado pelo Dr. Andrew Taylor-Still (1828-1917). 

Consiste em uma uma abordagem diagnóstica e terapêutica das disfunções de mobilidade geral e da mobilidade articular, de forma mais específica, no quadro de suas participações no aparecimento da doença. 

Esta é uma técnica fisioterápica importante e envolve técnicas de manipulação que fazem parte de um conjunto de manobras pertencentes ao acervo da prática da terapia manual. Esta terapia consiste em uma especialidade da fisioterapia em que os instrumentos de trabalho são as próprias mãos do profissional.

O efeito sentido após a utilização dessa técnica é indolor e promove o aumento da amplitude de movimento no segmento a ser manipulado, atuando, simultaneamente, nos mecanismos neurofisiológicos da diminuição da dor. Esta técnica possibilita o ganho de mobilidade em áreas restritas do sistema musculoesquelético, e isso contribui para um realinhamento postural.

Este tratamento possui efeito imediato sobre a dor, aliviando o desconforto do paciente e tratando o problema de forma geral. Portanto, a osteopatia é indicada para diversas patologias.

Medicamentos

É muito comum o tratamento com indicação de medicamentos, pois o alívio da dor pode ser imediato após o uso. Porem, é necessário que haja o tratamento completo do problema e não apenas dos sintomas. Se o seu médico te receita apenas medicamentos, saiba que provavelmente você nunca vai tratar a causa do problema.

Quiropraxia

Trata-se de um tratamento parecido com a osteopatia, pois utiliza-se as mãos como instrumento para lidar com as dores nas costas do paciente. Na quiropraxia também são utilizadas algumas outras ferramentas que ajudam o especialista a realinhar a coluna e agindo diretamente nos focos da dor.

Os tratamentos podem variar de acordo com o caso apresentado pela pessoa. Dessa forma, em qualquer caso é imprescindível que o indivíduo busque a orientação de um fisioterapeuta especializado para obter o diagnóstico correto.

Se você está sem condições de um fisioterapeuta para consultar presencialmente, tente agendar uma consulta online aqui.

imagem-whats.jpgA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

 Como aliviar de imediato a dor nas costas?

Atenção, agora, iremos falar sobre formas de aliviar e não de curar, a dor ok?

As formas de aliviar a dor nas costas são aquelas usadas no momento da dor. É importante lembrar que essas dicas não servem para curar ou tratar a causa das dores nas costas. Portanto, com essas técnicas, algumas dores serão diminuídas apenas por curto período se a causa real do problema não for tratada.

Uma forma de aliviar as dores nas costas é relaxar, podendo ficar deitado de lado ou sentado de forma que as costas estejam totalmente encostadas na cadeira por alguns minutos. Ao relaxar, a tensão dos músculos diminui e melhora a pressão dessa tensão em outras partes do corpo.

Outra forma muito eficaz para o alívio das dores nas costas é o uso do calor. Uma maneira de aplicar essa dica é utilizar uma compressa morna exatamente em cima da região dolorida, deixando-a atuar por 20 minutos. Além disso, o calor também alivia a tensão muscular, inflamações e infecções. 

Porém, a maneira mais comum de alívio das dores nas costas – e também uma das mais relaxantes, é a massagem. Para massagear o corpo, pode-se utilizar a ajuda de aparelhos ou cremes exatamente na região onde se sente dor nas costas. Além disso, é possível ainda usar os jatos de água fortes e quentes do chuveiro para aliviar a tensão local e aumentar o fluxo sanguíneo da superfície da pele.

homem-tratando-dor-nas-costas.jpg

Já os medicamentos podem fazer parte do tratamento ou servirem apenas para lidar com a dor. Em alguns casos, como fratura, por exemplo, a forma mais eficaz de aliviar a dor é usando remédios. Os medicamentos mais comuns para alívio da dor são relaxantes musculares, analgésicos ou anti-inflamatórios por via oral. Também existem anti-inflamatórios de uso tópico muito eficientes, como um adesivo Salompas na região ou alguma pomada. 

É importante lembrar que, para o uso desses recursos, é necessário buscar a devida orientação médica.

Mudanças diárias para melhorar a saúde da sua coluna

mulher-dormindo-bem-

Em alguns casos, uma boa noite de sono alivia da dor nas costas. Então na hora de dormir, é indicado deitar de lado ou de barriga para cima e com a cabeça bem apoiada num travesseiro não muito fofo. Além do mais, recomenda-se pelo menos 8 horas de sono por dia. 

Outra dica é colocar um travesseiro debaixo dos joelhos, caso a pessoa esteja de barriga para cima, ou entre os joelhos, caso durma deitada de lado. Nessas situações o travesseiro auxilia a alinhar a coluna durante o sono. 

Outro fator que colabora para o alívio das dores nas costas é a perda de peso. Muitas vezes a estrutura da coluna não suporta o peso da pessoa, o que resulta em dores nas costas geradas pela sobrecarga nas articulações. 

Por isso, fazer uma dieta desintoxicante ou outra indicada por um nutricionista ou médico, a fim de  eliminar toxinas e o excesso de líquidos pode ser uma boa estratégia para começar a perder peso.

Outro fator que colabora para a diminuição da dor nas costas é a redução do estresse e da ansiedade, pois ambas condições provocam tensão muscular. Essa tensão pode ser responsável por incômodo físico e pode pressionar estruturas da coluna. 

Para sentir-se menos ansioso ou estressado, pode-se usar técnicas de aromaterapia. Colocar 2 gotas de óleo essencial de lavanda no  travesseiro antes de dormir pode tranquilizar seu sono pelas têm propriedades calmantes que a lavanda tem

Exercícios indicados para quem sofre com dor nas costas

Como já foi dito antes, exercícios são excelentes maneiras de tratar, prevenir e aliviar dores nas costas. O mais eficaz destes são os alongamento e os exercício feitos com resistência do próprio corpo.  

Essas são algumas ações que podem aliviar a dor nas costas, porém sempre deve-se buscar a orientação de um fisioterapeuta para que ele trate a causa da sua dor.

Já explicamos aqui as diferentes causas de dor nas costas e os diferentes tratamentos existentes. Portanto, na maioria dos casos, são indicados exercícios físicos que buscam o fortalecimento de estruturas da coluna, bem como para realinhar a postura. 

Contudo, alguns exercícios podem causar o efeito contrário, intensificando a dor.

Sendo assim, abaixo estão listados os melhores exercícios para quem sofre com dor nas costas:

  • Alongamento da coluna 

É importante alongar a coluna para melhorar a flexibilidade e diminuir a degeneração das células e tecidos da coluna. 

Execução: Para fazer esse exercício é bem simples: basta ficar em pé e tentar tocar a ponta dos seus pés com as mãos, sem dobrar os joelhos. Você deve manter esta posição por 20 ou 30 segundos. 

Esse exercício ajuda a relaxar os músculos lombares e aliviar a tensão e a pressão causadoras da dor nas costas.

  • Alongamento de posterior de coxa

O alongamento nessa região ajuda na circulação sanguínea e diminuição da tensão na coluna, assim como o alongamento da coluna. 

Execução: Para realizar esse exercício, a pessoa deve deitar de costas para o chão, em seguida envolver um dos pés com uma toalha e utilizá-la para erguer a perna e esticá-la pro alto. Assim, com o joelho esticado, cuide até sentir o alongamento dos músculos atrás da coxa da perna erguida. Essa posição deve ser mantida por 30 segundos e, depois, deve ser realizada na outra perna. 

Com a prática deste exercício, os músculos vão ficando mais flexíveis e a perna pode atingir um ângulo cada vez maior.

  • Mobilização de coluna – Postura do gato

Esse exercício é um dos mais conhecidos e básicos na prática de yoga uma vez que auxilia de maneira simples no fortalecimento e equilíbrio do indivíduo. 

Posição inicial: Para executar esse exercício é necessário ficar na posição de quatro apoios no chão, com as mãos apoiadas e alinhadas com os ombro. Os joelhos devem permanecer um pouco distantes um do outro e alinhados com os quadris, formando um ângulo de 90° para a largura e a altura. 

Execução: Em seguida, deve-se realizar o movimento de mobilização de quadril e cervical, fazendo “bolinha” com a coluna (abaixa a cabeça em direção ao peito enquanto curvar a coluna para cima a partir da contração do quadril) e, em seguida, voltar lentamente para a posição inicial. 

É como se fosse a posição de um gato arrepiado e depois, o movimento contrário. Deve-se repetir esse exercício 10 vezes.

Essa prática ajuda a coluna a ter flexibilidade e diminui a tensão dos músculos das costas.

  • Ponte

A ponte é outro exercício excelente para o alinhamento da coluna e para diminuir a dor nas costas. 

Posição inicial: Basta deitar de costas para o chão, com os braços na lateral do corpo e levantar lentamente a cabeça em direção ao peito (sem apoio de cabeça).

Execução: Em seguida, utilizando a pressão dos braços e pés, deve-se elevar o quadril (até a altura que conseguir, formando uma “ponte”), e depois voltar lentamente à posição inicial. Esse exercício deve ser repetido 10 vezes.

  • Extensão de coluna

Esse exercício ajuda a alongar a coluna de maneira inversa ao primeiro exercício listado aqui (o alongamento da coluna).

Posição inicial: Para executar esse exercício é preciso, primeiro, deitar de bruços. Em seguida, deve-se apoiar os cotovelos e alinhá-los na altura dos ombros, formando um ângulo de 90º e apoiar as mãos à frente com as palmas voltadas para baixo. 

Execução: Em seguida, realizar uma extensão de coluna até extensão completa dos cotovelos (esticar para trás). Deve-se repetir este exercício 10 vezes.

  • Prancha

  • exercício-prancha

Esse exercício trabalha diversas partes do corpo, inclusive os músculos abdominais, que também contribuem para o fortalecimento da coluna e diminuem dos impactos recebidos por sua estrutura. 

Execução: Para fazer o exercício basta deitar de bruços, em seguida apoiar os cotovelos nas laterais, alinhados. Depois, deve-se erguer todo o corpo usando a força dos antebraços e a ponta dos pés, deixando o corpo reto sem tocar no chão,  formando uma “prancha”. Essa posição deve ser mantida por 30 segundos e repetida 4x.

Tratamento para Dor nas Costas em casa

Muitas pessoas não têm tempo, dinheiro e nem mesmo conhecem algum fisioterapeuta especialista em coluna para tratar dor nas costas. Por isso, alguns doutores estão realizando atendimentos e tratamentos a preços bem acessíveis pela internet.

Um dos mais conhecidos, é o Programa “Dor nas Costas, Não!” do Dr. Keyner Luiz e da Dra. Mariana Dias. Eles disponibilizam dezenas de videoaulas para auxiliar as pessoas a praticarem exercícios de fortalecimento em casa. As aulas deste programa variam de 5 a 15 minutos. 

Uma das vantagens dessas alternativas é o preço acessível. Além do mais, não é necessário o uso de equipamentos grandes ou caros, porque todos os exercícios indicados pelos profissionais devem ser realizados com o que se tem disponível em casa.

Aos que tiverem interesse, podem acessar ao site clicando aqui

Conclusão

Portanto, mesmo que dores nas costas causem um enorme incômodo, não se preocupe: para este problema o que não falta é solução. Prevenção, tratamento por exercícios físicos e pequenos cuidados diários são algumas das alternativas para quem busca uma melhor saúde física e bem estar. Além disso, procure sempre a orientação de um bom profissional fisioterápico para que seu diagnóstico seja preciso. Mas não se esqueça de manter a persistência que um tratamento exige: de pouco em pouco, todos os dias, não há dor que não se resolva. Sua coluna merece essa atenção!

imagem-whats.jpgA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!