Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

A Ventosaterapia é uma técnica milenar que possui vários benefícios terapêuticos sendo aperfeiçoada pela Medicina Tradicional Chinesa. É uma prática realizada no mundo todo e a Fisioterapia a utiliza como uma das ferramentas para alívio das dores musculoesqueléticas, que também pode ser combinada com outras técnicas da Terapia Manual.

Considerada uma prática integrativa e complementar da saúde, sua relação com a Fisioterapia mantém-se forte e remete às práticas terapêuticas utilizadas desde a antiguidade.

Saber a atuação fisiológica do uso das ventosas, seus benefícios e indicações torna-se importante para que o fisioterapeuta utilize a técnica de maneira segura e eficaz!

O que é a Ventosaterapia?

A Ventosaterapia é uma prática alternativa fundamentada pela Medicina Tradicional Chinesa que trabalha com a aplicação de ventosas no corpo do paciente, ocasionando um vácuo e, através, da sucção da pele gerando uma pressão negativa, estimula a circulação sanguínea e libera as toxinas existentes no sangue. Acredita-se que esta prática auxilia na limpeza do sangue, proporcionando assim uma resistência imunológica maior e ainda uma melhor oxigenação celular e da pele.

Sua prática promove ao paciente relaxamento corporal e mental, pois de acordo com o princípio da Medicina Oriental, a ventosa drena as áreas de congestão e liberta o corpo do excesso de energia negativa. Possui diversos Métodos de aplicação podendo ser combinada com outras técnicas na atuação da Fisioterapia.

Esse recurso terapêutico faz parte de um conjunto de técnicas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e institucionalizado como uma das práticas integrativas e complementares pela rede pública de saúde.

É indicado no tratamento de diversas doenças, atua em distúrbios reumatológicos, neurológicos, vasculares e dermatológicos, também em pós-operatórios diversos e tratamentos estéticos.

Na Fisioterapia é muito utilizada no tratamento das disfunções musculoesqueléticas, principalmente em quadros crônicos. Dados recentes mostram que a dor lombar, cervicalgias, artralgias e outras condições musculoesqueléticas afetam cerca de 90% nos EUA e Brasil, 70% da população do Canadá, 49% da França e 48% da Austrália e estas demandas de saúde levam a procurar tratamentos alternativos como a Ventosaterapia.

Tipos de ventosa

1. Chifres de boi

São equipamentos feitos a partir dos chifres de animais, no qual os mesmos são cortados entre 10 e 15 cm de comprimento e com 5 cm de diâmetro interno, e o seu exterior deve ter um ótimo acabamento para evitar algum possível ferimento no paciente.

2. Bambu

A ventosa de bambu é o tipo mais utilizado na China devido ao seu grande cultivo. Esse instrumento é confeccionado a partir de um segmento fechado de um ramo de bambu, com medidas entre 6 e 9 cm de comprimento e diâmetro de aproximadamente 0,6 cm a espessura da parede de no máximo 1 cm, devendo ser bem lixado externamente, para evitar ferimentos e desconfortos. O uso desse tipo de ventosa tornou-se muito popular devido ao baixo custo, facilidade ao transportar por ser um instrumento leve e, também, por poder ser associada com ervas medicinais.

3. Vidro

São copos de vidro com altura de 67 mm e boca de 34 mm com um peso médio de 150 gramas. Para utilizá-lo, basta acender uma vela e colocar a chama no interior do copo e logo a seguir colocar o copo na pele, formando um vácuo quando o oxigênio de dentro do copo é consumido pela vela e, por isso, quando aplicado rapidamente na pele ocorre a sucção.

4. Acrílico

Essa ventosa é feita por um copo de plástico resistente e translúcido e contém uma válvula posicionada na porção superior ao instrumento. Acompanhando, vem uma bomba manual, na qual o profissional encaixa a ventosa na bomba através da válvula e assim bombeia fazendo uma sucção, dessa forma cria uma pressão negativa. Com esse procedimento o terapeuta consegue controlar a força através das puxadas na bomba.

Bases fisiológicas no uso da Ventosaterapia

1. Desintoxicação do sangue pela ventosa

Baseada nos princípios da antiguidade no Oriente, acredita-se que o uso das ventosas tem a propriedade de limpar o sangue das toxinas causadas pela sujeira da água e dos alimentos, pois a estagnação do sangue coagulado, escuro, sujo nos músculos das costas ou articulações é considerado pela medicina oriental como um dos elementos causadores de doenças, sendo necessário retirá-lo para que o paciente possa se curar.

A aplicação da ventosa produz uma reação no corpo que se manifesta por uma marca na pele. Segundo o estado de saúde do paciente pode ser vermelha, roxa, marrom e preta, o que significa que quanto maior a congestão da área, mais escura será a marca, ou seja, áreas da pele com gases estagnados produzem esta reação.

2. As trocas gasosas com ventosas

A pele é considerada um aparelho de respiração, assim como o pulmão, porém, com um grau de absorção de oxigênio bem menor. O princípio usado na ventosa não elimina apenas os gases, mas, através dos pontos dos meridianos usados na Acupuntura, consegue eliminar toxinas por reflexo dentro dos órgãos internos.

Ações terapêuticas e benefícios causadas pela Ventosaterapia

O tratamento com ventosas auxilia na cura de doenças? Sim! De acordo com a Medicina Oriental, a ventosa possui:

  • Capacidade de regular a função nervosa;
  • Aumenta o sistema imunológico;
  • Desintoxica os tecidos promovendo purificação e oxigenação da pele;
  • Melhora a circulação sanguínea;
  • Auxilia na diminuição dos processos inflamatórios da pele, sendo utilizados no tratamento de gorduras localizadas e lipodistrofia ginóide (celulite);
  • Auxilia na remoção de radicais livres.

Dosagem na aplicação das ventosas

A ventosa quando aplicada na superfície da pele, produz um vácuo que faz a sucção do sangue para superfície, produzindo assim o tratamento. Esta sucção pode ser fraca, moderada ou forte, dependendo do objetivo, tratamento e tipo de doença. Quando realizado com a bomba é mais fácil controlar o nível de pressão:

  • Fraco: Puxar uma vez a bomba;
  • Médio: Puxar duas vezes a bomba
  • Forte: Puxar três ou quatro vezes.

Formas de aplicação

1. Ventosa seca

Indicada para o tratamento de Trigger Points, dores na coluna vertebral e mobilização da fáscia muscular. Aplicar uma pressão leve a moderada e deixar por 3 minutos. Esta técnica deixa marcas que somem de cinco a oito dias que indicam a condição da congestão.

2. Ventosa com sangria

Indicada no tratamento de aumento súbito da pressão arterial, drenagem de fluidos de tumores e pessoas com excesso de agitação e energia no seu organismo. Fazer uma aplicação seca de dois a cinco minutos, em seguida realizar uma pequena incisão e colocar o copo da ventosa sobre o corte novamente.

3. Ventosa com repuxamento

Indicado no tratamento de Trigger Points e mobilização da fáscia muscular. Realizar o repuxamento da ventosa aplicada no paciente, com uma sucção média e após movimentos de puxar para cima até soltar. Realizar a técnica consecutivamente e várias vezes.

4. Massagem com ventosas

Indicado para promover hidratação de pele ressecada, melhorar o fluxo sanguíneo e linfático, sendo ótimo no tratamento de edemas, fibroses e aderências cicatriciais. Utilizar um meio de deslizamento como óleo ou creme hidratante, aplicar a ventosa com uma pressão leve a moderada e deslizar o copo na superfície desejada.

Quem pode realizar o tratamento?

A Ventosaterapia é uma técnica terapêutica realizada desde a antiguidade no Oriente, mostra ser segura e com poucas contraindicações.

Todas as pessoas que buscam melhora das suas condições de saúde física e energética através de terapias não farmacológicas irão se beneficiar com o tratamento com ventosas. Porém há algumas precauções e contraindicações como:

  • Pessoas com dermatites ou qualquer irritação na pele não devem realizar a técnica;
  • Não aplicar em ferimentos recentes e edemas severos;
  • Grávidas, pacientes com insuficiência cardíaca e plaquetopênicos a contraindicação é ABSOLUTA!;
  • Não realizar a aplicação dos copos em artérias de grosso calibre;
  • Para tratamentos de dores crônicas da coluna vertebral, as ventosas devem ficar de 3 a 5 cm de distância da coluna;
  • Os copos usados devem ser imersos em água contendo solução com hipoclorito de sódio 2% imediatamente após sua remoção e lavados com água e sabão antes de serem guardados.

Conclusão

A Ventosaterapia é uma alternativa de tratamento com grande satisfação e efeitos positivos na prática clínica, sendo uma ferramenta segura sem apresentar efeitos colaterais. Além da função no tratamento das dores musculoesqueléticas, pode atuar como forma de diagnóstico para distúrbios energéticos.

 

Referências

  1. CUNHA, A.A.Ventosaterapia.2ªed,São Paulo: Ícone,2001.
  2. CALOGERO, R. Tipos de utilização da ventosa. São Paulo 2017.
  3. PAIVA, J.L de. Efeitos da ventosaterapia no tratamento da insônia. 2018. 56 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) – Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

4. RIBEIRO, J.C; SENE, R.F;PAIVA, A.F.A; PINTO, L.P; ASSIS, I.B. Ventosaterapia: Tratamento Alternativo para diversas afecções. Revista Saúde em Foco – Edição nº 11 – Ano: 2019.