Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Artroplastia Total do Joelho: Orientações e Reabilitação no Pós-Operatório

Artroplastia Total do Joelho: Orientações e Reabilitação no Pós-Operatório
5 (100%) 1 vote

O joelho é uma articulação constituída por um conjunto de ossos, músculos e ligamentos.

Esta articulação proporciona sustentação e a reestruturação do peso do corpo, promovendo os movimentos necessários para a caminhada sustentável e harmônica.

As articulações sofrem muito impacto e o joelho é uma das articulações que mais sofrem, já que ele possui pouca estabilidade, devido à sua anatomia.

A osteoartrose é uma doença degenerativa comum, em que a articulação do joelho sofre um desgaste em seus componentes:

  • Tíbia
  • Fêmur
  • Patela
  • Meniscos

Seu quadro de dor é de: deformidade e rigidez articular.

A artroplastia total do joelho (ATJ) apresenta-se como um tratamento eficaz para os casos mais avançados de:

  • Osteoartrose
  • Deformidades Articulares
  • Algum Tipo de Doença Reumática

A artroplastia é uma cirurgia ortopédica rotineiramente realizada para:

  • Reduzir a Dor
  • Corrigir Deformidades
  • Corrigir Instabilidades
  • Melhorar a Função em Doenças Degenerativas do Joelho

A maior incidência da artroplastia total do joelho ocorre em pacientes entre 65-79 anos e é um tratamento muito eficaz quando o paciente tem indicação.

A artroplastia total do joelho é uma cirurgia que tem por objetivo a substituição de uma articulação nova (prótese).

A nova articulação é composta por componentes metálicos e plásticos, formando um joelho seguro e confortável, capacitado a desenvolver as atividades de vida diária e proporcionar uma caminhada sem dor.

A artroplastia é uma intervenção cirúrgica que visa reconstruir as partes danificadas da região.

A indicação da cirurgia ocorre quando existem danos e não há chance de melhora com outros tratamentos. Deve-se esperar da cirurgia a melhora da dor e a recuperação dos movimentos necessários para sentar, andar, subir e descer escadas.

Atualmente o número de pacientes procurando a artroplastia total do joelho está aumentando cada vez mais, isso vem acontecendo devido ao aumento da longevidade da população e pela prática de atividades físicas dessa faixa etária.

Na maioria dos casos o tratamento para dor/lesão no joelho é feita com medicamentos anti-inflamatórios e com fisioterapia, sendo muito eficiente.

A cirurgia é recomendada nos casos em que os tratamentos não resolvem a lesão. A substituição total do joelho é realizada principalmente por pessoas idosas, sendo removida a estrutura danificada, substituído por um metal de metal ou plástico.

A fisioterapia tem sido de fundamental importância para reabilitação do pós-cirúrgico da artroplastia total do joelho, principalmente por meio de exercícios passivos, ativos assistidos e ativos.

Faz-se necessário prevenir eventos trombóticos nos membros inferiores, com:

  • Exercícios de Bombeamento de Tornozelo;
  • Ganho de Extensão de Articulação do Joelho;
  • Minimizar o Quanto Antes o Edema com a Crioterapia ou a Eletroterapia;
  • Recuperação da Amplitude de Movimento (ADM) Completa em Todas as Movimentações do Joelho;
  • Retorno de Força e o Trofismo Muscular do Membro.

A fisioterapia também ajuda:

  • A Aumentar Propiocepção;
  • Ganho de Força Muscular e Marcha;
  • Auxilia os Pacientes Retornarem as Atividades da Vida Diária.

A ausência de um tratamento reabilitativo contribui de forma negativa para o grau de função articular do joelho. A reabilitação é de extrema importância, pois há riscos pós-cirúrgicos e por ser uma cirurgia de grande porte cabe evitar certos riscos.

Apesar das vastas literaturas disponíveis muitas pessoas têm dúvidas quanto ao que o paciente pode ou não fazer no pós-operatório imediato.

É imprescindível orientar os pacientes quanto a movimentos e demais orientações pré e pós-operatórias que podem ser realizados após a cirurgia ortopédica de artroplastia total do joelho.

Estas técnicas devem ser discutidas com o fisioterapeuta para melhor compreensão e adaptação em sua casa ou ambiente de trabalho.

A importância da fisioterapia pré-operatória, pode aumenta a ADM, a medida da flexão e extensão influencia nesta no pós-operatório.

O método Pilates pode ajudar tanto no pré-operatório da artroplastia total do joelho, quanto depois. O Pilates é eficaz no pós-operatório por permitir exercícios precoces e respeitar limites de movimento.

O fisioterapeuta deve explicar ao paciente os exercícios e cuidados que devem ser tomados no pós-operatório. No primeiro momento, o paciente deve só sair se for acompanhando de alguém.

Deve-se investigar se o paciente tem algum problema respiratório prévio, alteração cognitiva e avaliar mobilidade.

Cuidados Pré-Operatórios

  • Providenciar Muletas e Andador
  • Bolsa de Gelo
  • Material de Higiene Pessoal
  • Receitas e Medicações de Uso Regular

Preparos Domiciliares

  • Uso de cadeira higiênica para uso domiciliar;
  • Pedir para alguém organizar os móveis de maneira que a pessoa possa circular pela casa com andador ou muletas;
  • Manter um trajeto iluminado para banheiro e para o quarto;
  • Retirar objetos espalhados pelo chão;
  • Tomar cuidado com chão escorregadio ou molhado;
  • Logo após a cirurgia quando acabar o efeito da anestesia, a dor será controlado com medicamentos.

Cuidados e Exercícios no Pós-Operatório

1) A reabilitação em pacientes após artroplastia total do joelho é de suma importância para a volta desses indivíduos a sua posição na sociedade, a fisioterapia é muito importante para a reabilitação ser o mais rápido e eficaz.

2) Importante salientar que esta reabilitação varia de acordo com o tipo de cirurgia e mesmo da resposta de cada indivíduo, necessitando de tratamento individualizados para cada caso, visando os ganhos e lidando com complicações que podem acontecer ao geral.

3) Ensinar os pacientes exercícios anti-trombóticos, exercícios respiratórios e exercícios isométricos de quadríceps e glúteos. E reforçar as orientações também para o acompanhante.

4) Os exercícios antitrombóticos (bomba tibiotársica) são simples e extremamente importantes. Por exemplo, a trombose venosa profunda (TVP) é uma complicação após a artroplastia total do joelho.

A bomba tibiotársica é um excelente exercício para fazer logo quando o paciente acordar após o pós operatório. Inicialmente são realizadas 10 repetições, evoluindo para 25 repetições a cada duas horas.

5) A Isometria de quadríceps fortalece os músculos ao redor do joelho e estimula o paciente a alcançar o máximo da extensão ativa. Um exercício praticamente indolor no pós-operatório.

6) Um exercício de amplitude final de extensão do joelho pode ser feito com um cobertor abaixo do joelho. Orientar o paciente a levantar o tornozelo, manter uma isometria por 3-5 segundos na extensão máxima do joelho e então descer lentamente.

7) Elevação com a perna retificada é um exercício que trabalha quadríceps, mas desta vez em sua atuação como flexor da articulação do quadril.

O quadríceps merece toda a atenção. Estudos apontam a força do quadríceps como principal fator associado com velocidade da marcha e redução de dor e incapacidades em paciente com artrose.

8) Exercício ativo livre de flexão extensão de joelho: Pacientes com as pernas para fora do leito o mais precocemente possível, se possível ainda no pós operatório imediato para evitar náuseas e vômito, elevando a cabeceira gradualmente.

Se não tiver intercorrência, posicione o paciente sentado com as pernas fora do leito.

Orientações Importantes Para o Paciente

  1. Evitar colocar travesseiros ou almofadas embaixo do joelho enquanto tiver em repouso. Embora seja confortável, o joelho pode ficar acostumado a ficar dobrado e prejudicar a recuperação;
  2. Na posição deitado manter a perna elevada e estendida. Esta posição ajuda a reduzir a dor e o edema da perna;
  3. Fazer uso da bolsa de gelo com perna elevada pelo menos três vezes ao dia, durante no mínimo 20 min. No máximo 30 min, se apresentar dor e edema;
  4. Prestar atenção onde pisa, tomando cuidado com quedas. Evitar tapetes e fios espalhados pela casa;
  5.  Procurar usar calçados com solado antiderrapante;
  6. Evitar agachamento quando for pegar algum objeto no chão, coloque a perna operada para trás com o joelho esticado, o agachamento exagerado poderá luxar a prótese;
  7. Levantando da cadeira: Desloque-se para a beira do assento, estique a perna operada à frente e levante-se fazendo força com a perna não operada;
  8. Ao deitar-se de lado, deite sobre o lado não operado e coloque travesseiros entre as pernas;
  9. Para usar o vaso sanitário, posicione a perna operada esticada para frente e tronco inclinado para trás;
  10. Tomar banho sentado em um banco ou em pé apoiando em barras e não utilize banheira para não ter dificuldade ao sair dela;
  11. Ao entrar no carro, sente-se com as pernas ainda para fora do carro e leve as pernas juntas para dentro do carro. Ao sair faça a mesma coisa. Para dirigir, converse com o médico;
  12. Subir e descer escadas. Para subir: Subir primeiro a não operada, depois as muletas e por último a perna operada. (lembrando de não apoiar o peso todo no joelho). Para descer: Primeiro desça as muletas, depois a perna operada e finalmente a não operada;
  13. Deitado: Manter um apoio (travesseiro ou lençol dobrado) sob o tornozelo. Contrações com a musculatura da coxa tentando esticar seu joelho, empurrando para trás;
  14. Sentado: Inicialmente o fisioterapeuta ajudará segurando sua perna. Depois poderá sentar-se e apoiar sua perna operada em uma cadeira ou almofada;
  15. Sentar e levantar: Manter o joelho operado esticado e faça o apoio na outra perna e nos braços, seja no sofá, na cadeira ou no assento sanitário. Sente-se em cadeira firme e alta, com apoio para costas e braços. Use o andador ou muletas até sentir a cadeira encostar-se à parte detrás de suas pernas;
  16. Levantando-se com suporte: Sair da cama pelo mesmo lado do seu joelho operado. Nas primeiras vezes, pedir ao fisioterapeuta orientação, enquanto tiver no hospital. Mover os quadris com auxílio de seus ombros, mantendo o corpo alinhado com sua perna. Trazer a perna não operada e sente-se na beira da cama. Segurar o andador ou par de muletas e ficar em pé.  Usar a perna não operada e sente-se na beira da cama. Segurar o andador ou par de muletas e ficar em pé. Usar a perna não operada para suportar seu peso;
  17. Treino de marcha: Treine a marcha com o auxílio de um andador ou muletas, seguindo as orientações do fisioterapeuta. Coloque as muletas primeiras, depois a operada e depois a perna sadia.

Exercícios Para a Reabilitação da Artroplastia Total do Joelho

Reabilitação – Primeira Semana

  1. Deitada de barriga para cima, realizar 10 repetições de cada exercício, duas vezes ao dia;
  2. Levante a perna operada esticada mantendo a outra perna apoiada na cama até a altura do outro joelho.
  3. Abra e feche a perna operada.

Reabilitação – Segunda Semana

Continuar com os exercícios anteriores e começar outros exercícios abaixo:

  1. Aperte os joelhos contra um objeto macio sustentando até seis. Relaxe e repita 20 vezes;
  2. Com o auxílio de uma faixa, eleve a perna operada, mantendo-a esticada. Conte até 30 e abaixe, repita por 3 vezes;
  3. Na posição deitada de barriga para baixo, dobre e estique o joelho. Realizar 10 repetições;
  4. Com apoio, dobre e estique o joelho à frente. Faça 10 repetições, relaxe e repita o exercício;
  5. Abra e feche a perna operada. Faça 10 repetições, relaxe e repita o exercício;
  6. Com apoio, dobre e estique a perna para trás. Faça 10 repetições, relaxa e repita o exercício.

Reabilitação – Terceira Semana

Manter os exercícios anteriores e acrescentar os listados abaixo:

  1. Realização de exercícios de ponte, 10 repetições, relaxe e repita os exercícios três vezes;
  2. Deitado de lado, abra e feche as pernas. Realizar 10 repetições de três séries;
  3. De pé com as pernas apoiadas levar as pernas para trás com o joelho esticado e voltar para a posição inicial. Realizar 10 repetições, relaxar e repetir a série três vezes;
  4. Na posição sentada, dobrar e esticar a perna operada.

Reabilitação- Quarta à Sexta Semana

  1. Mobilização de cicatriz depois de retirada dos pontos cirúrgicos. Faça três séries de 10 repetições;
  2. Manter os exercícios anteriores, agora com resistência (pesos, caneleiras). Faça três séries de 10 repetições;
  3. Mobilização da patela seguindo as orientações dadas pelo fisioterapeuta. Faça três séries de 10 repetições;
  4. Com apoio dos braços em uma superfície rígida. Inicie pequenos agachamentos. Faça três séries de 10 repetições.
  5. O paciente já pode andar com uma muleta;
  6. Treine a marcha com a muleta do lado oposto à perna operada, seguindo orientações do ortopedista. Faça três séries de 10 repetições.

Estes são os principais exercícios no leito. Podem-se fazer muitos outros exercícios, isso apenas depende da criatividade, alguns outros exemplos:

  • Flexo-extensão com bola suíça;
  • Exercícios de resistência elástica (Theraband);
  • Isometria de glúteos;
  • Outros tipos de fortalecimento muscular.

Conclusão

A artroplastia total do joelho é um tratamento eficaz que é indicado para casos avançados de osteoartrose, ou algum tipo de doença reumática.

Ela é uma cirurgia ortopédica feita para aliviar a dor, melhorar a função e corrigir instabilidades do joelho. A cirurgia só é indicada em casos que os tratamentos mais passivos não estão resolvendo a lesão.

O papel da fisioterapia é fundamental para a reabilitação no pós-cirurgia, indicando exercícios passivos, ativos assistidos e ativos.

O fisioterapeuta também deve falar para o paciente os cuidados que devem ser tomados no pós-operatório.

Referências Bibliográficas
IOSHITAKE, Flora Ayumi AL. Reabilitação  de pacientes submetidos à artroplastia total de joelho: revisão de literatura.  Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba. v. 18, n. 1, (11-14), 2016.
BARBOSA, Stephanie Loren; MEDJIA, Dayana Priscila. Atuação do fisioterapeuta na reabilitação pós-cirúrgica da artroplastia total de joelho. Pós-graduação em Fisioterapia em reabilitação na Ortopedia e Traumtologia com ênfase em Terapia manual- Faculdade Cambury. (1-12), 2009.
MONTE, Victor. Orientações de artroplastia total de joelho, 2018. http://drvictormonte.com.br/orientacoes-de-artroplastia-total-do-joelho/ 17/10/2018.
ALBERTONI, Manna; FALOPPA, Flavio. Artroplastia Total de Joelho Manual de Orientações. 2018. http://www.academia.edu/10363600/Artroplastia_Total_de_Joelho_Manual_de_Orienta%C3%A7%C3%B5es

Written by Adriana Aguiar

Adriana Aguiar

Fisioterapeuta. Graduada pela UCSal. Pós graduada em Fisioterapia Neurofuncional pela UGF. Experiência de 13 anos nas áreas de ortopedia, hidroterapia, neurologia e geriatria em clínicas, academias e domicílios. Atuação em atendimento domiciliar e consultoria.
Possui habilitação nos métodos Bad Ragaz, Halliwick, capacitação em drenagem linfática manual, massoterapia e cursa formação em estética.
www.instagram.com/adriaguiarfisio

4 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Que post maravilhosa, enrequecidora,esclarecidora e detalhada adorei. Obrigada pelo conteúdo.
    Sou uma recém licenciada cá em cabo verde. Faço muito gosto em acompanhar esse blog. Abraços

    • Olá, tudo bem? Ficamos muito felizes que tenha gostado da matéria e acompanhe o Blog. Leitores como você é o que nos faz querer melhorar cada vez mais 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *