Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

O que é Fisioterapia? Tudo o que você precisa saber

tratamento-fisioterapia

Quando falamos sobre o fisioterapeuta, muitas dúvidas surgem em relação a definição e atuação desse profissional. Primeiramente, a fisioterapia tem o objetivo de ajudar as pessoas a superar e/ou diminuir as suas dificuldades físicas, colaborando com a sua independência.

Para se tornar um bom fisioterapeuta é necessário ter uma visão humanística, crítica e reflexiva. Além de ser capaz de compreender o movimento humano e atuar tanto na prevenção de doenças como na reabilitação de enfermidades, visando sempre a melhora do bem-estar e da qualidade de vida dos indivíduos.

De acordo com o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), a fisioterapia é definida como uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas, na atenção básica, média e alta complexidade.

O Conselho define o fisioterapeuta como profissional de saúde com formação acadêmica superior, habilitado à construção do diagnóstico dos distúrbios cinéticos funcionais, a prescrição das condutas fisioterapêuticas, a ordenação e indução no paciente bem como o acompanhamento da evolução do quadro clínico funcional e as condições para alta do serviço.

Sendo assim, o profissional tem como objetivo o movimento humano, intervindo na saúde do paciente, com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do indivíduo, melhorando sua qualidade de vida e sua saúde de forma plena.

Esse artigo será um guia completo sobre a profissão, para esclarecer dúvidas e direcionar os que estão interessados em conhecer um pouco mais sobre a área.

Principal Objetivo do Fisioterapeuta

O principal objetivo do fisioterapeuta é oferecer qualidade de vida para o indivíduo atuando tanto na prevenção como na reabilitação física trazendo funcionalidade

Tendo em vista que o  profissional de saúde que se ocupa do movimento humano em toda a sua plenitude, com o objetivo de preservar, manter, desenvolver e restaurar a integridade dos sistemas, funções corporais e órgãos.

Cuidados Que Todo o Fisioterapeuta Deve Tomar Com os Seus Alunos

avaliacao_fisioterapia

Sendo um profissional da área da saúde, o fisioterapeuta deve respeitar o princípio ético de seus alunos, honrando sua dignidade e direitos humanos.

Jamais divulgar dados, arquivos ou fotos de seus alunos sem o consentimento prévio e informar o objetivo dessa divulgação.

As atividades assistenciais prestadas pelo fisioterapeuta devem ser registradas no prontuário do aluno e mantidas em sigilo de outras pessoas, tendo o aluno acesso a essas informações sempre que desejar.

Durante as aulas o fisioterapeuta deve propor movimentos que desafiem seus alunos e os façam progredir, mas sempre respeitando suas limitações fisiológicas e funcionais, a presença de patologias, quadros álgicos e inflamatórios.

O profissional deve explicar a função de cada exercício e observar o aluno, corrigindo e orientando para que seja feito corretamente.

Além disso, deve questionar o aluno sobre como se sente com cada movimento, a fim de evitar danos ou sobrecargas.

Fisioterapia Motora

tratamento_pilates

A fisioterapia motora é uma das principais características da profissão, pois o terapeuta atua nos distúrbios cinéticos-funcionais (biomecânica e funcionalidade humana) com objetivo de recuperação motora do seu paciente. Para que isso ocorra utiliza-se da cinesioterapia que é a ciência que atua no tratamento dos sistemas neuromusculoesqueléticos e circulatórios por meio dos movimentos e exercícios, sendo dividida em exercícios ativos e passivos.

Os exercícios passivos são aqueles realizados pelo profissional enquanto este não consegue ajudar ativamente, e os exercícios ativos se realizam voluntariamente pelo paciente, dentro da amplitude de movimento livre, com contração ativa de grupos musculares.

Vale ressaltar que tanto os exercícios ativos e passivos podem ser realizados com a ajuda de acessórios, dependendo do quadro clínico e do ambiente em que o paciente está inserido. Além disso, a fisioterapia motora é utilizada em pacientes críticos internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com o objetivo de evitar a síndrome do imobilismo e as incapacidades funcionais, em que o fisioterapeuta realiza exercícios passivos para proporcionar seus benefícios já conhecidos, melhorando assim a condição de saúde do paciente e diminuindo seu tempo de permanência nas UTIs.

Alguns dos recursos fisioterapêuticos mais conhecidos por quem já precisou realizar uma sessão de fisioterapia são a termoterapia, eletroterapia, crioterapia e o Pilates.

Termoterapia

A termoterapia utiliza gentes térmicos, realizando o aumento ou a diminuição da temperatura local como recurso terapêutico. O nosso sistema sensorial possui receptores de frio e de calor que respondem às diferenças de temperatura, inibindo os impulsos dolorosos, resultando em analgesia.

Eletroterapia

Consiste na utilização de correntes elétricas para fins terapêuticos. Ela é utilizada para tratar condições neuromusculares, incrementar a circulação local, diminuir a dor e aumentar a amplitude de movimento. Os aparelhos de eletroterapia possuem eletrodos que são aplicados diretamente na pele do paciente, transmitindo uma corrente elétrica de baixa intensidade.

Cada aparelho possui parâmetros específicos que variam de acordo com o objetivo do tratamento. Entre os mais utilizados destacam-se o TENS, o ultrassom e o laser. A Estimulação Elétrica Transcutânea (TENS) ajuda a amenizar dores musculares crônicas, estimulando a produção de endorfinas que são neurotransmissores associados a ação analgésica e de bem-estar. O ultrassom possui ondas de calor mais intensas, o que o torna efetivo na diminuição de dores de articulações e tecidos musculares profundos.

As ondas ultrassônicas penetram nas células provocando uma vibração a nível celular, conhecida como micro massagem, que aumenta a permeabilidade da membrana celular, permitindo a entrada de íons nas células, o que acelera o processo de reparação tecidual e alivia a dor.

O laser terapêutico é um tipo de radiação eletromagnética não ionizante monocromática. Ele aumenta a atividade metabólica, aumenta a excitação nervosa, estimula a drenagem linfática, possui efeito vasodilatador e anti-inflamatório, o que resulta em seu efeito terapêutico analgésico, anti-inflamatório e bio estimulante.

 Crioterapia

Processo terapêutico que consiste na aplicação de baixas temperaturas por meio de métodos como cubos de gelo, compressas e imersão, para diminuir a temperatura corporal da região em que foi aplicada. Diferente do frio que só possui ação analgésica, a aplicação de calor leva a uma vasodilatação local, aumentando o fluxo sanguíneo, o que melhora o aporte de oxigênio e nutrientes para a região, melhorando o estado inflamatório.

O uso do calor é indicado para a redução de dores crônicas e subagudas, redução de quadros inflamatórios, casos de espasmos e contraturas musculares e casos de redução de amplitude de movimento.

Algumas vezes esse recurso é utilizado antes da cinesioterapia, para diminuir a dor e permitir maior desempenho durante a realização de movimentos. Os equipamentos mais conhecidos para a aplicação desse recurso são o infravermelho, o forno de Bier, o turbilhão e o ondas curtas.

Pilates

Atualmente, um dos métodos de exercícios mais recomendados principalmente para o tratamento de desvios posturais e dores crônicas. Idealizado por Joseph Pilates, o pilates é programa completo de condicionamento tanto físico como mental, que tem como objetivo a melhora do equilíbrio entre esforço e performance, com a integração do movimento, partindo do centro estável e sinestesia realçada. Desenvolve a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável, trabalhando o corpo como um todo, corrigindo a postura e realinhando os músculos.

O Que é Fisioterapia Dermato Funcional

fisioterapeuta

A fisioterapia dermato-funcional é a área que se ocupa da avaliação e tratamento de distúrbios que se referem às alterações de funcionalidade do sistema tegumentar. Sendo assim, as duas grandes áreas de intervenção são: reparadora (fazendo parte úlceras, feridas, queimaduras e cicatrizes) e estética (intervindo em distúrbios como acne, pré e pós operatório, estrias, envelhecimento cutâneo, acne, rosácea, gordura localizada, flacidez, edemas linfáticos ou venosos, fibro edema gelóide, entre outros).

Tem como campo de atuação clínicas, consultórios, hospitais, SPAS, academia e cursos de fisioterapia. Nota-se esses nichos de mercado caminhando juntamente com a evolução técnico-científica da profissão.

O fisioterapeuta dermatofuncional irá atuar na prevenção, promoção e recuperação do sistema tegumentar e seus resultados não estão presentes somente no campo estético, como também melhoram a qualidade de vida e a saúde mental, envolvendo equilíbrio emocional e autoestima.

Além disso, estes profissionais realizam o acompanhamento pré e pós-operatório de cirurgias plásticas para acelerar a recuperação e restaurar a funcionalidade, reduzindo o tempo de repouso e facilitando o regresso as atividades funcionais. Com isso, diminui as incidências de hematomas, edemas e inchaços, potencializando o efeito da cirurgia.

Outra importante atuação do fisioterapeuta dermatofuncional é na reabilitação de pacientes queimados. Se a intervenção é iniciada precocemente, o profissional tem papel preventivo.

No entanto, em casos graves o paciente pode ter ficado muito tempo imobilizado e necessitar da fisioterapia para melhorar o quadro álgico, acelerar a reparação tecidual, melhorar a amplitude de movimento e em alguns casos até mesmo a função respiratória.

 

Processo de Reabilitação do Aluno

terapia-manual

Como em qualquer atendimento fisioterapêutico, o processo de reabilitação se inicia com uma boa anamnese com o objetivo de identificar a patologia do paciente. É necessário um cuidado especial, sendo necessária uma avaliação e um tratamento individualizado e específico para cada caso, assim o fisioterapeuta pode traçar um plano com objetivos de curo, médio e longo prazo, sabendo como direcionar suas aulas.

O fisioterapeuta deve estar sempre atento a movimentos que possam causar dores ou desconfortos, procurando as melhores posturas para a execução de cada exercício. Cabe ao profissional também orientar sobre adaptações posturais e exercícios para realização em domicílio. Ao longo das aulas é possível observar a evolução do aluno e realizar uma progressão gradual dos exercícios, aumentando a carga, número de séries, repetições e adicionando acessórios que dificultem sua realização.

É fundamental a realização de uma reavaliação planejada para o fisioterapeuta verificar em quais aspectos o aluno evoluiu e quais ainda precisam ser trabalhados, além disso, com a avaliação o aluno tem uma melhor percepção de seu desempenho e de suas conquistas.

A essência da reabilitação encontra-se na restauração da atividade funcional, e tem como objetivo a melhora da aptidão miofuncional e facilitação à execução das atividades de vida diária com a melhora da qualidade de vida.

Ações Preventivas Primárias, Secundárias e Terciárias

Não se pode negar pela história da profissão que a fisioterapia foi criada com base no conceito de reabilitação, para restaurar a capacidade física dos pacientes. Com a implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil, surgiram novos desafios e possibilidade para esses profissionais, sendo possível o desenvolvimento de ações nos três níveis de atuação: primário, secundário e terciário.

As ações primárias são destinadas a promoção de saúde, envolvendo intervenções para a prevenção de doenças e para a preservação do bem-estar da comunidade. Os profissionais da área da saúde possuem a função de informar a população sobre cuidados gerais e hábitos de vida saudáveis, tendo o fisioterapeuta como possibilidades:

  • Realizar atividades em grupos populacionais específicos, como gestantes, hipertensos e idosos;
  • Conscientizar sobre a importância e estimular a prática de atividades físicas;
  • Realizar orientações posturais para tarefas diárias e ocupacionais;
  • Promover eventos para a comunidade, podendo ser em forma de encontros ou palestras;
  • Orientar sobre as consequências de maus hábitos de saúde, como por exemplo o fumo.

As ações secundárias se enquadram no campo da proteção de saúde, com intervenções e tratamentos de doenças agudas. O nível secundário é considerado aquele em que o organismo já se encontra com alterações na forma e na função, por isso o fisioterapeuta irá prevenir que as capacidades se agravem, introduzido recursos para o tratamento precoce.

As ações terciárias envolvem a recuperação, visando reduzir a incapacidade e reintegrar o indivíduo na sociedade. Para esse nível o fisioterapeuta usa seus recursos específicos, geralmente em sessões individuais e traça suas condutas com base na avaliação do paciente, visando a melhora do quadro clínico.

 

Recuperação Final de Grandes Incapacitados

fisioterapia_swissball

Com a evolução das tecnologias médicas ocorreu também o aumento da expectativa de vida. Esse fato desencadeou uma mudança epidemiológica, com o crescimento da incidência de doenças crônico-degenerativas. Afecções como Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs), infartos, cânceres, aneurismas, entre outros, prejudicam as funções físicas e mentais, resultando em quadros de incapacidade.

Em geral, esses pacientes podem apresentar alterações de sensibilidade, motoras e cognitivas, que resultam em dificuldade de realizar o movimento e também de entender o que está sendo solicitado.

Para esses casos, a reabilitação deve se iniciar assim que o paciente estiver estável, desde a UTI, passando pela enfermaria e continuando o tratamento em ambiente domiciliar. Para o fisioterapeuta a maior gratificação profissional é ver o paciente evoluir, receber alta e melhorar seu quadro clínico. No entanto, é necessário saber lidar quando as coisas não caminham para esse lado.

O profissional deve deixar suas crenças e religiões pessoais de lado e fazer o que for melhor para seu paciente. Não se deve esquecer que qualquer técnica que possa ajudar é válida e importante, sejam recursos modernos de fisioterapia respiratória, fisioterapia motora ou até mesmo somente o posicionamento no leito e a troca de decúbito, cumprindo seu objetivo como profissional da saúde e levando qualidade de vida para o paciente.

Principais Áreas da Fisioterapia Em Constante Crescimento

fisioterapia2

Enquanto algumas especialidades da fisioterapia como a neurofuncional e a traumato-ortopédica são bem conhecidas e consolidadas, outras são mais recentes e estão em constante crescimento como a Fisioterapia Esportiva, Home Care, Fisioterapia do trabalho, Fisioterapia para Gestantes e Grupos Especiais.

 

  • Neurofuncional: trabalha de forma preventiva, adaptativa, curativa ou paliativa em sequelas que resultaram de danos ao sistema nervoso central e periférico, bem como doenças neuromusculares.
  • Traumato-ortopédica: atuam na investigação, prevenção e tratamento de patologias musculares, articulares, ligamentares e ósseas
  • Fisioterapia Esportiva: atua na prevenção e tratamento de lesões em atletas e praticantes de esportes.
  • Home Care: participa do cuidado, tratamento e serviço especializado num ambiente extra-institucional de saúde.
  • Fisioterapia do trabalho: com objetivo de prevenir, resgatar e manter a saúde do trabalhador, portanto, aspectos como ergonomia, biomecânica, atividade física laboral e recuperação de queixas ou desconforto físicos estão entre os cuidados do fisioterapeuta.
  • Fisioterapia em gestantes: para a prevenção de disfunções, diminuição de quadros de dor, promoção de saúde e bem-estar, preparação para o parto e pós-parto.
  • Grupos especiais: atuando no tratamento de limitações de movimento em grupos específicos. Como exemplo: grupos de idosos ou portadores de deficiências físicas.

 

Especialidades Reconhecidas Pelo COFFITO no Brasil

O COFFITO reconhece as seguintes especialidades de fisioterapia no Brasil:

  • Fisioterapia em Acupuntura
  • Fisioterapia Aquática
  • Fisioterapia Cardiovascular
  • Fisioterapia Dermatofuncional
  • Fisioterapia Esportiva
  • Fisioterapia em Gerontologia
  • Fisioterapia do Trabalho
  • Fisioterapia Neurofuncional
  • Fisioterapia em Oncologia
  • Fisioterapia Respiratória
  • Fisioterapia Traumato-Ortopédica
  • Fisioterapia em Osteopatia
  • Fisioterapia em Quiropraxia
  • Fisioterapia em Saúde da Mulher
  • Fisioterapia em Terapia Intensiva

Mercado de Trabalho 

fisioterapia

É fixo, por lei, que os fisioterapeutas estão sujeitos à prestação máxima de 30 horas semanais de trabalho. Isso acontece porque o fisioterapeuta não é um profissional que trabalha sentado em um escritório, mas sim em pé, realizando esforço físico e as vezes em posições pouco confortáveis para realização de manobras em seus pacientes.

O piso salarial é o menor salário pago ao trabalhador e é estipulado em cada estado.

De acordo com a tabela salarial de 2016, que realizou uma pesquisa em empresas de pequeno, médio e grande porte em capitais e grandes cidades do país, o salário médio que se paga para o fisioterapeuta no Brasil é R$2.188,62.

Esse valor pode variar por região e especialidade. De acordo com a Datafolha, o salário médio do fisioterapeuta em São Paulo é de R$3,167,30. Os valores geralmente são maiores para os profissionais que possuem uma pós-graduação, e atuam em uma área especifica da fisioterapia, podendo chegar até R$5.000,00. Para os estagiários os salários são em média de R$800,00.

De acordo com a especialidade escolhida, existe uma variedade de ambientes de trabalho, sendo estes hospitais, clínicas médicas, centros de reabilitação, unidades básicas de saúde, escolas, empresas, etc. Hoje em dia, academias, clubes e centros de estética também são opções para o trabalho desse profissional.

Além disso, existem os profissionais que querem seguir carreira acadêmica e trabalham em universidades e centros de pesquisa. Em cada campo de atuação escolhido a atividade profissional é distinta, lidando com técnicas, demandas e públicos variados.

Perspectivas Futuras da Área

Atualmente, aliviar sintomas não é o único objetivo do fisioterapeuta, a cura de distúrbios como os musculoesqueléticos, nervosos, artrocinemáticos, entre outros.

A prevenção e a reabilitação funcional já fazem parte de um sistema de atenção básica à saúde atendendo os três níveis de atenção, gerando uma variedade de especialidades em que o fisioterapeuta pode atuar.

Assim, com a popularidade da profissão muitas portas de acesso se abrem tanto para aqueles que procuram tratamento, quanto para aqueles que pretendem se formar e atuar na área.

Dúvidas Frequentes

  • Fisioterapeuta é médico?

Algumas pessoas confundem fisioterapeuta com fisiatra, mas para ser fisiatra é necessário ser graduado em medicina. Portanto, o fisioterapeuta não é médico, pois realiza a graduação em fisioterapia.

  • Fisioterapeuta é Doutor?

O CREFITO recomenda a utilização do termo Dr. ou Dra. como forma de tratamento ético e respeitoso entre colegas de profissão e entre o paciente com o fisioterapeuta. Além disso, minimiza eventual hierarquização e subalternidade a outros profissionais.

  • O que é ser Fisioterapeuta?

Segundo Erika Alves Serrão “ser fisioterapeuta é ter duas mãos e um coração entre elas, é manter expressão serena, mesmo com a alma desesperada, manter a mente quieta mesmo diante do desespero,ter um brilho no olhar mesmo quando não temos esse motivo, é transformar lágrimas em desabafo e ser humano para dar conforto. O coração estremece por muitas vezes cheio de emoções inexplicáveis, mas proporcionando o alívio dentro da alma, levando conforto para o coração e com nossa sabedoria poder proporcionar a reabilitação. Ser fisioterapeuta é acreditar na esperança que dias melhores virão, é vencer o sentimento de onipotência que nós é erroneamente delegado, é reconhecer nossos próprios limites.Mas, acima de qualquer coisa, fazei Deus que nunca perca a capacidade de chorar e jamais esquecer que em minhas mãos junto com sua mão existe o maior milagre: a vida.”

Concluindo…

postura-correta

Atualmente a fisioterapia possui uma série de ramificações e campos distintos, diferente de anos atrás, quando o profissional era confundido com massagista.

Nota-se hoje que é considerada como uma grande aliada na prevenção e tratamento de muitas patologias. Por isso é importante que o profissional se mantenha sempre atualizado para melhor recuperação do seu paciente.

Observa-se que a possibilidade de auxiliar o próximo, promovendo a sua reabilitação é o principal fator que atrai os interessados em ingressar na área, sendo uma qualidade muito importante pois o contato com o paciente é sempre muito próximo, exigindo paciência e dedicação.

A cura através das mãos. Essa provavelmente é a melhor maneira de ilustrar o ofício do fisioterapeuta.

Quer dar o primeiro passo? Compartilhe este post com o máximo de profissionais da Educação Física possível – a informação é o começo de tudo. Até o próximo artigo!

 

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *