Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Alterações fisiológicas ocorrem no corpo materno durante a gravidez, envolvendo todos os sistemas. Algumas alterações têm provocado aparição de edema nos membros inferiores e dor na coluna lombar, dentre outras, causando transtornos sociais.

Todas estas transformações têm contribuído para redução da qualidade de vida.

As alterações posturais e fisiológicas inerentes durante a gestação, como alterações posturais caracterizadas por aumento da lordose lombar, hiperextensão de joelhos, aumento da base de suporte, entre outras, podem provocar quadros álgicos na mulher gestante, como a lombalgia, muito frequente nesta população.

Lombalgia

As  principais queixas nas grávidas são:

  • Lombalgia
  • Edema de MMII
  • Desequilíbrios Respiratórios e Posturais (os mais citados neste período)

A lombalgia é um sintoma que, em grau maior, pode causar incapacidade motora, insônia e depressão, impedindo a gestante de levar uma vida normal. O alivio da lombalgia deve ser preocupação dos profissionais de saúde na assistência pré-natal.

Hidroterapia em gestantes

A hidroterapia une conhecimentos cinesiológicos da fisioterapia, com conhecimento dos princípios físicos da água, técnicas e métodos específicos para o tratamento de diversos comprometimentos motores que impactam na vida dos indivíduos.

Existe uma demanda de pacientes gestantes com quadros de lombalgia. Há ainda poucos estudos que abordam o efeito da hidroterapia em gestantes.

Os efeitos específicos da prática de atividade física materna em imersão contribuem para que a adesão à técnica seja cada vez maior, tanto por parte das gestantes como dos profissionais que os acompanham no pré-natal.

Além de proporcionar conforto e bem-estar, este tratamento aumenta a capacidade do organismo materno em eliminar calor. A manutenção da temperatura corporal durante a hidroterapia é outro efeito desejável, exclusivo deste exercício.

A literatura descreve que a atividade física regular, moderada e controlada, desde o início da gestação, é capaz de promover benefícios para saúde materna e fetal sendo o exercício na água a melhor opção para gestantes.

Os exercícios aquáticos são mais indicados porque as propriedades físicas acomodam o aumento do volume do corpo da gestante, melhorando a resistência e flexibilidade, treinando a respiração e reduzindo a frequência de edema.

Para um bom trabalho de parto é necessária a realização de exercícios físicos e um acompanhamento fisioterapêutico que buscam um bom preparo cardiorrespiratório e físico, para que  a gestante possa ter uma gestação tranquila e um trabalho mais rápido.

O trabalho aquático produz um controle maior sobre a frequência cardíaca materna e fetal, melhora o condicionamento físico, aumenta a eliminação de diurese diminuindo a formação de edema, e promove um controle postural e, sobretudo, reduz a sensação de peso corporal.

A hidrocinesioterapia favorece a eliminação do edema nos membros inferiores e alívio da dor na região lombar das gestantes. Neste âmbito, esta terapia apresenta-se como uma modalidade prazerosa, de baixo custo e eficaz.  A hidroterapia é indicada como atividade adequada de baixo impacto.

Hidroterapia no tratamento da lombalgia em gestantes

A água produz alta relevância quanto à melhora desse quadro sintomatológico da gestante por permitir a realização de exercícios com maior segurança, proporcionar um maior estado de relaxamento devido a sua temperatura e atua na melhora da funcionalidade dos sistemas devido à ação de suas propriedades.

A lombalgia é um sintoma de dor que acomete a região lombar podendo se manifestar com a presença ou não de irradiação para os membros inferiores. A hidroterapia é um método que possui destaque neste tratamento.

Em grau maior a lombalgia gestacional pode causar incapacidade motora, insônia e depressão, interferindo nas suas atividades diárias ou profissionais. Neste período, a fisioterapia aquática atua melhorando a capacidade cardiovascular, aumentando a eliminação de diurese reduzindo os edemas, melhorando o condicionamento físico, reduzindo a sensação de peso corporal e principalmente o controle do estresse.

Em estudos realizados com gestantes foi concluído que a fisioterapia aquática contribuiu na redução dos sintomas dolorosos, proporcionando, além dos efeitos físicos, melhora da saúde psicológica com alivio de estresse e melhora da saúde psicológica e melhoria da qualidade de sono, facilitando suas atividades diárias e no trabalho.

A diferença da hidroginástica é a assistência específica às gestantes, monitoramento dos sinais vitais e orientações posturais e exercícios específicos para prevenção, ou tratamento das alterações gestacionais.

Benefícios da hidroterapia

  • Facilita o Trabalho de Parto – Mais Efetivo e Menos Doloroso
  • Melhora a Qualidade de Sono
  • Melhora Ansiedade e Estresse
  • Risco de Depressão Pré e Pós-Parto
  • Aumenta a Nutrição e Oxigenação da Placenta
  • Ajuda no Desenvolvimento Fetal
  • Aumenta a Respiração
  • Estimula o Movimento Corporal
  • Diminui os Riscos de Parto Prematuro

Em seu estudo Melo ET. AL (2007) descreveram que através das técnicas de aquecimento, fortalecimento, resistência, atividade aeróbica, alongamento e relaxamento em ambiente aquático, a dor que antes era nota 10 na escala comportamental foi reduzida para nota 3.

Assim, obtendo-se uma redução de 70% da dor ao término de um tratamento que teve uma duração de 5 semanas, o que associa com a pesquisa de Santos (2006) que comprovou o declínio da dor lombar através das mesmas técnicas aplicadas durante um período de 6 semanas.

O relaxamento aquático também é uma importante técnica durante o tratamento de sintomas da gestação, produzindo diminuição de espasmos musculares, edema e dor.

O relaxamento associado a exercícios respiratórios combinado com Watsu promovem a redução do quadro álgico de 8 para 5 pontos na lombar de 7 para 0 no cóccix, ombro, braço e joelho. O relaxamento muscular pode aliviar ou diminuir as dores na coluna durante horas ou dias.

Conclusão

Na gestação algumas mulheres trazem consequências que podem resultar em dor e limitações das atividades diárias.

Durante a hidroterapia com o programa de reabilitação favorece a diminuição da ocorrência e características da dor e a melhor evolução dos desconfortos musculoesqueléticos da gestação.

Em pacientes grávidas submetidas ao tratamento de hidroterapia observa-se uma redução total da dor lombar referida, assim como o alongamento dos grupos musculares envolvidos, facilitando as alterações posturais decorrentes da gestação.

Concluindo que o tratamento fisioterapêutico é eficaz para redução dos sintomas de dor lombar na gestação, além de propiciar benefícios no campo psicológico, influenciando no bem-estar, na autoestima e na qualidade de vida destas pacientes.

 

Bibliografia
  • ASSIS, O.T, COSTA, B.S. Hidrocinesioterapia como tratamento de escolha para lombalgia gestacional. PR. V. 9. Junho 2010.
  • ALVES, T, CORDEIRO, L, C. Exercício físico e gravidez: Prescrição benefícios e contraindicações . Brasília, v. 7. 2009.
  • NUNES, V, OLIVEIRA, A. A influência da hidro em gestantes do município de Quixadá. Quixadá. V.1. dez. 2015.
  • TOURINHO,F.M, GUEDES, J.M. Tratamento hidroterapêutico na dor lombar em gestantes. v.35. março 2011.