Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Como fazer Avaliação de Composição Corporal em seu Paciente?

Gostou? Avalie!

Um fator primordial para se alcançar o sucesso nos treinamentos ou tratamento do nosso cliente, é uma boa Avaliação de Composição Corporal. Estes dados somente são adquiridos seguindo protocolos e procedimentos adequados.

Para realizarmos uma boa Avaliação de Composição Corporal, é necessária uma anamnese completa utilizando dados como o IMC (Índice de Massa Corporal), RCQ (Relação Cintura-Quadril) e Antropometria.

De maneira concreta, ao mostrar os resultados para nossos pacientes, entra em cena a Avaliação de Composição Corporal. Com ela, é possível traçar um trabalho de qualidade e segurança, com objetivos claros – seja ele estético, desportivo ou de reabilitação.

A composição corporal é definida como proporção entre gordura e tecido isento de gordura no corpo. Vamos entender melhor o que isso significa? Continue lendo texto!

Influência da Composição Corporal

A determinação da composição corporal tem grande importância na prática clínica e na avaliação de populações. Isso se deve, principalmente, à associação da gordura corporal com diversas alterações metabólicas.

Vários estudos mostram que a quantidade de tecido adiposo e sua distribuição pelo corpo estão associadas a elevados valores de:

  • Pressão Arterial;
  • Dislipidemias – com concentrações elevadas de triglicerídeos e reduzidas de colesterol de alta densidade (HDL);
  • Intolerância à glicose e resistência insulínica – os quais contribuem para a elevação do risco cardiovascular.

Diante da influência da quantidade de gordura corporal no estado de saúde dos indivíduos, são necessários métodos capazes de avaliar – de forma precisa e confiável -, a quantidade de gordura corporal em relação à massa corporal total.

6 Razões que justificam uma Avaliação de Composição Corporal:

  1. Determinar o ponto de partida para o início de programa de treinamento;
  2. Traçar a melhor maneira de conseguir um equilíbrio ideal entre gordura corporal e os compartimentos de gordura;
  3. Relaciona-se com o estado de saúde geral e desempenha um papel importante nos objetivos relacionados a saúde e aptidão física;
  4. Monitorar as mudanças nos componentes adiposos e magros durante os esquemas de exercícios com diferentes durações e intensidades;
  5. Melhor interação dos profissionais com os indivíduos e melhor informação relacionada com nutrição, controle de peso e exercício;
  6. Obter informações objetivas para os profissionais, correlacionando a composição corporal com o desempenho de esportes ou atividades do cliente.

Como Realizar uma Ótima Avaliação de Composição Corporal?

Existem várias técnicas para realizar a avaliação de composição corporal:

  • Pesagem hidrostática;
  • Raio-X;
  • Condutividade elétrica corporal ou Bioimpedância;
  • Ultrassom;
  • Tomografia computadorizada;
  • Plestimografia com ar;
  • Entre outros.

Porém, a técnica de menor custo, maior facilidade de execução, melhor aplicabilidade no dia-dia e sem ser um procedimento invasivo é a ANTROPOMETRIA.

Antropometria

A palavra “antropometria” deriva do grego, é a mensuração do corpo humano.

ANTHROPOS – homem, METRON – equivale a medida.

Entre os métodos antropométricos, as dobras cutâneas são habitualmente utilizadas para determinação do percentual de gordura corporal – devido ao baixo custo operacional e à relativa simplicidade de utilização.

Existem, na literatura, mais de 100 equações que utilizam as medidas de dobras cutâneas e outras medidas antropométricas, como circunferências, para determinação da composição corporal.

Entretanto, a validade de equações que utilizam medidas de dobras cutâneas para predizer a composição corporal é restrita para a população da qual essas equações foram derivadas.

Portanto, a validade e acurácia dessas equações precisam ser cuidadosamente avaliadas no momento da sua escolha. Para selecionar o método e a equação mais adequados, fatores como, idade, sexo, etnia, nível de atividade física e quantidade de gordura corporal, precisam ser levados em consideração.

Cada profissional pode escolher que equação usar, porém, atentando-se a sempre se ater a mesma equação nas reavaliações e comparações de resultados

Dentre as principais equações existentes, podemos tratar como os principais sendo: McArdle, Guedes, Faulkner, Pollock, Yuhasz, Lohman.

Para ser útil, a avaliação depende completamente da habilidade do avaliador. As medidas devem ser realizadas de maneira cuidadosa, padronizada e reprodutível. Portanto, o avaliador deve ser bem treinado.

Onde encaixar a Antropometria?

O maior cuidado que deve ser tomado ao avaliar é a demarcação para as medidas. A demarcação é um ponto importantíssimo.

Se o profissional utiliza o adipômetro de forma correta, conhece os protocolos, mas no momento da demarcação comete um erro, mesmo que depois faça tudo correto (perimetria, dobras cutâneas), as medidas que serão tomadas serão inválidas pois não corresponderão com o posicionamento correto dos equipamentos.

Concluindo…

A avaliação da composição corporal é um importante aspecto na determinação da condição física, em qualquer programa de emagrecimento ou na prevenção e tratamento de diversas doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, dislipidemias e cardiopatias, nefropatias…

Ou seja, é extremamente importante pela sua relação com o estado de saúde, dado ser indiscutível que tanto o excesso de gordura corporal, como o défice de massa magra apresentam relação direta com uma série de fatores de risco para o aparecimento ou o agravamento de condições desfavoráveis para a saúde.

Analisando os dados encontrados na literatura, e diante da importância da composição corporal sobre os aspectos de saúde dos indivíduos, é fundamental que o profissional tenha pleno conhecimento das técnicas, protocolos e equipamentos para, assim, gerar dados de alta qualidade e confiabilidade  para realizar a avaliação de composição corporal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *