Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

O primeiro passo para definir qual é o tratamento certo para o paciente é entender a verdadeira origem do problema. 

É comum encontrarmos alunos que chegam reclamando de dor no nervo ciático, mas que na verdade têm um problema completamente diferente.

As características e compensações únicas de cada corpo fazem com que os sintomas de um nervo ciático inflamado sejam um pouco diferentes para cada um. 

Podemos definir os sintomas mais comuns como:

  • Perda ou diminuição de sensibilidade na região atingida;
  • Diminuição na força da musculatura;
  • Formigamento;
  • Dores que irradiam da lombar;

Alguns pacientes experimentam dor inconstante e que aumenta de acordo com a posição do corpo ou movimento realizado. 

Alguns deles reclamam de dor só de um lado do corpo ou em uma parte específica do trajeto do nervo ciático. 

Isso acontece porque o nervo ciático é bastante extenso e pode estar pressionado ou inflamado só em um trecho desse trajeto.

O mais comum é encontrar casos de dor no nervo ciático associados a dor lombar. Muitos pacientes acabam confundindo outros problemas da lombar com inflamação no nervo, um exemplo é a hérnia de disco.

Para entender melhor, continue lendo esta matéria que preparamos para você!

Descobrindo se o paciente realmente tem inflamação no ciático

É fácil confundir algum problema na dor lombar com dor irradiada com inflamação no nervo ciático, podemos até dizer que boa parte dos casos que encontramos são assim. 

Portanto, cabe ao profissional realizar uma boa avaliação para determinar se aquela dor realmente é uma ciatalgia.

O primeiro sinal de que o problema é causado pelo nervo ciático é dor nas regiões do trajeto do nervo. Existe um teste simples que nos ajuda a determinar isso:

  1. Peça para que o aluno sente-se e abaixe a cabeça;
  2. Depois, que ele estenda uma das pernas para a frente e repita o movimento com a perna oposta.

Provavelmente nessa hora seu aluno vai reclamar de dor, pergunte para ele os locais que estão doendo, se a dor estiver no trajeto do nervo ciático é um indicativo de reclamação, é possível ter dor até na ponta dos dedos do pé.

Preste atenção especialmente em pacientes com dor nas seguintes regiões:

  • Glúteo;
  • Piriforme;
  • Lombar;
  • Isquiotibiais;
  • Panturrilha;
  • Joelho;
  • Pé.

Esse é um teste bem eficiente, mas ainda não é uma prova definitiva de um ciático inflamado. 

Ainda precisamos definir qual é a origem do problema, a inflamação pode acontecer por uma hérnia de disco, por exemplo. Nesse caso não basta tratar a dor causada pelo ciático já que a causa, a hérnia, permanece lá.

1. Disfunção Sacroilíaca

Como mencionado, é bem provável que encontremos um nervo ciático inflamado, dor irradiada pelo seu trajeto e todos os outros sintomas e ainda ter uma causa diferente para a dor. 

Um dos exemplos é a hérnia de disco, que já foi mencionada, onde parte do nervo ciático está comprimido pela hérnia. Outra possibilidade é a disfunção sacroilíaca.

Existem ramos do nervo ciático que passam e atuam nos tecidos moles localizados na parte posterior da articulação sacroilíaca. Quando acontece alguma disfunção sacroilíaca é possível que a compressão no nervo ciático gere dor pelo seu trajeto.

Pacientes que apresentam disfunção na sacroilíaca apresentam dor unilateral na região dessa articulação e/ou da nádega. 

Em alguns casos a dor irradia o quadril e virilha que aumenta ao permanecer numa posição por tempo prolongado. 

Esses pacientes sentem dificuldades para se levantar quando estão sentados, movimento que também causa dor. Também é comum sentir dificuldade para subir escadas e rigidez no corpo logo após levantar.

O paciente geralmente sente alívio da dor quando recebe uma pressão sobre o sacro.

2. Tendinite no glúteo médio

Outra causa extremamente comum de dor na região do nervo ciático é a tendinite no glúteo médio.

O glúteo médio é uma musculatura localizada um pouco acima do piriforme. Ele é essencial para a sustentação do corpo e garantir movimentos funcionais no corpo. 

É possível que o aluno apresente tendinite de glúteo médio e sinta dor na região. O aluno não apresenta necessariamente inflamação no nervo ciático quando existe tendinite de glúteo.

É comum que a dor causada pela tendinite reflita no piriforme, causando a síndrome do piriforme. Ela é caracterizada por dor intensa no músculos piriforme que está inflamado. 

Devido a inflamação o músculo incha e comprime o ciático, gerando dor irradiada e podendo inflamar o nervo.

Quando trabalhamos com um paciente com dor no nervo ciático causada pela síndrome do piriforme precisamos entender: o problema está realmente no glúteo médio, que foi o causador da síndrome e, portanto, da dor no nervo ciático.

3. Hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema comum que encontramos com muita frequência nos Studios. Ela acontece devido a um deslocamento de um dos discos intervertebrais. 

Quando isso acontece em L5-S1 e L4-L5 pode surgir também dor no nervo ciático já que o disco intervertebral está muito próximo ao nervo.

Em alguns casos de hérnia de disco o núcleo extravasado comprime o nervo ciático e causa a dor. Apesar de ser comum, nem toda hérnia causa dor ciática. É preciso avaliar caso por caso para definir o melhor tratamento para a inflamação no ciático.

4. Tensão na fáscia toracolombar

A fáscia toracolombar tem início na coluna lombar e continuidade na coluna torácica. Ela está relacionada casos de dor lombar, disfunções na sacroilíaca e, claro, dor no trajeto do nervo ciático. 

Quando encontramos um paciente que apresenta a fáscia toracolombar tensionada o problema não é a inflamação no ciático, mas sim a tensão da fáscia.

O paciente precisará de um trabalho cuidadoso de liberação da tensão na fáscia e reabilitação. Só assim conseguiremos aliviar a dor no trajeto do ciático.

5. Inclinação anterior de pelve

Um desvio postural que gere inclinação anterior da pelve pode levar a dor no nervo ciático. Em casos assim começaremos trabalhando o músculos Psoas e glúteos, que são músculos de sustentação de outras musculaturas do corpo.

Também deveremos realizar um trabalho de estabilização da pelve e correção postural. Isso se aplica a todos os pacientes com dor no nervo ciático, já que eles precisarão recuperar seus movimentos funcionais para se livrar da dor. 

As musculaturas do centro do corpo terão papel essencial na reabilitação e precisam de estabilidade e fortalecimento.

Trabalhando o centro do corpo conseguimos criar uma base de sustentação melhor para todas as musculaturas. Como resultado o aluno terá mais facilidade para corrigir a inclinação da pelve que gerou dores no nervo ciático. 

Mesmo alunos que ainda não apresentam pelve anteriorizada precisam de fortalecimento já que assim conseguirão evitar desenvolver o problema.

Conclusão

A dor e inflamação no ciático pode ser causada por diversos fatores como mostrado no artigo. Sempre trate seu paciente considerando a causa do problema, não os sintomas de dor no nervo ciático.  

A reabilitação de pacientes não tem uma receita de bolo milagrosa. Cada caso é peculiar e único, através da avaliação podemos escolher quais são os movimentos mais indicados para ele.