Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

[ESPECIAL]Fisioterapia: Uma aliada na melhora da depressão

[ESPECIAL]Fisioterapia: Uma aliada na melhora da depressão
Gostou? Avalie!

Que felicidade ter você aqui! Hoje vamos falar sobre a fisioterapia na depressão, o quanto esta profissão pode ser uma aliada fundamental na melhora da qualidade de vida e na cura das pessoas que possuem este mal que assola vários indivíduos e preocupa o nosso país.

Os estudos sobre a depressão se iniciaram em 1920 e, já na época, foi reportado que as mulheres possuem o dobro de chances do que os homens de se tornarem depressivas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), O Brasil tem a maior taxa de pessoas com depressão na América Latina e uma média que supera os índices mundiais. Os últimos dados publicados apontam que 322 milhões de pessoas pelo mundo sofrem de depressão, 18% a mais do que há dez anos. O número representa 4,4% da população do planeta. E até 2020, a depressão será a segunda causa de morte mundial por doença, ficando apenas atrás das doenças cardíacas.

Os dados são assustadores e, nas atuais circunstâncias em que vivemos, precisamos falar sobre a depressão. É preciso entender que ela não é apenas uma tristeza passageira, mas sim uma doença. E, como toda doença, precisa ser diagnosticada precocemente e tratada da forma correta.

A Depressão

Todo mundo uma vez ou outra na vida se sente deprimido ou triste. É uma reação natural à perda, aos desafios da vida e à baixa auto-estima. Mas, às vezes, o sentimento de tristeza se torna intenso, dura longos períodos e retira a pessoa da vida normal. A depressão é o mais comum dos transtornos mentais, mas é uma doença tratável. Os tipos de depressão são vários:

  • clássica;
  • distimia;
  • transtorno bipolar;
  • sazonal.

Causas

Pode ser causada por muitos motivos:

  • a diferença biológica onde ocorrem mudanças nos cérebros de pessoas com depressão;
  • Os neurotransmissores sofrem alterações nas suas funções;
  • desiquilíbrio hormonal;
  • fator genético, ou seja, se algum parente já teve a doença.

Sintomas

Seus sintomas são:

  • Perda de interesse por coisas que antes gostava;
  • Falta de energia;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dificuldade de tomar decisões;
  • Insônia ou sono em excesso;
  • Problemas no estômago ou na indigestão;
  • Sentimento de desesperança;
  • Falta de interesse sexual;
  • Mudança no apetite;
  • Dentre outros.

Os sintomas podem ser diferentes entre homens, mulheres, crianças e idosos.

Homens

  • Menor propensão em ter auto-aversão e desesperança do que as mulheres;
  • Aumento da fadiga, irritabilidade, problemas de sono e perda de interesse no trabalho/hobbies;
  • São mais propensos a apresentar raiva, agressividade e abusar de substâncias químicas.

Mulheres

  • São mais propensas a apresentar sentimentos de culpa, sono excessivo e ganho de peso;
  • 1 em cada 7 mulheres apresentam depressão pós-parto.

Crianças

  • A tristeza normalmente não aparece nesse grupo de pessoas, porém é fácil perceber que elas ficam mais facilmente irritadas e agitadas;
  • Dores de cabeça, estômago ou outras dores físicas podem aparecer também.

Idosos

  • As pessoas mais velhas reclamam mais sobre os sintomas físicos do que os emocionais, como a fadiga, dores e problemas de memória;
  • Elas também podem não gostar de sua aparência física e parar de tomar medicamentos que são essenciais para a sua saúde.

Como saber quando precisar de ajuda?

É necessário buscar ajuda quando a depressão estiver afetando negativamente sua vida, como ao causar dificuldades nos relacionamentos, nas questões do trabalho, disputas familiares ou se estiver tendo pensamentos suicidas.

São inúmeros os tratamentos que auxiliam para a cura ou diminuição dos sintomas causados por essa doença, um deles é por meio da Fisioterapia.

Fisioterapia na depressão

Muitos indivíduos pensam que não existe a possibilidade de tratar uma doença sem a utilização dos medicamentos, mas muitos remédios são invasivos, que acabam prejudicando e causando dependência nas pessoas.

Existem casos onde somente é possível o tratamento por meio de medicamentos, porém em muitas situações a Fisioterapia pode sim ser útil e viável no combate à depressão. Com ela, o tratamento fica menos invasivo e auxilia ainda em todos os âmbitos da vida do paciente, desde sua auto-confiança até na parte física e estética através de exercícios fisioterapêuticos.

Diminuição da dor e insônia

Aproximadamente 70% das pessoas que possuem depressão alegam contar com dores fortes no corpo e principalmente, que não conseguem dormir à noite. Para fazer um diagnóstico correto da insônia existe um exame chamado polissonografia, no qual o médico monitora o paciente enquanto ele dorme.

O tratamento para insônia pode ser feito por meio de medicamentos que não podem ser tomados sem prescrição médica. Porém, na Fisioterapia uma das técnicas que ajuda no tratamento é a Acupuntura.

Em casos de insônia, ela deve ser trabalhada de acordo com cada pessoa até que se estabeleça um padrão de sono adequado. Para que o procedimento seja aplicado é importante diferenciar as causas em cada pessoa, por isso, procure um médico antes de buscar o tratamento por esse método.

Combate ao sentimento de solidão

A primeira coisa que uma pessoa pensa quando está depressiva é buscar isolamento, achando que dessa forma conseguirá manter os seus problemas somente para si e não prejudicar os outros.

O problema é que quando uma pessoa é diagnosticada com depressão, ficar sozinha não é uma boa opção, pois o isolamento irá tornar a pessoa menos ativa e distante das práticas que combatem a depressão.

Nesse sentido, manter uma rotina de exercícios físicos com acompanhamento de um fisioterapeuta, ou até mesmo ir até uma Clínica de Fisioterapia irá ajudar muito. A fisioterapia proporciona ,primeiramente, sair da zona de conforto e também criar a convivência com outras pessoas, onde é possível conversar sobre diversos assuntos e além do mais, estará movimentando o corpo e com menos tempo de pensar de forma negativa.

Relaxa a mente

A Fisioterapia auxilia e muito para um relaxamento mental, diminuição do estresse e sentimentos negativos, que normalmente chegam junto com a depressão.

As massagens podem ser grandes aliadas nesse sentido, pois elas oferecem relaxamento dos músculos e, consequentemente, previnem dores. Através de massagens é possível drenar o ácido lático presente nos músculos depois da prática do exercício, por exemplo, deixando o corpo mais relaxado e livre de dores musculares.

A realização de alongamento também é importante, pois muitas vezes as dores são provenientes do estresse acumulado no corpo e quando existe a prática diária do alongamento, isso melhora muito, oferecendo uma sensação de bem-estar da mente.

Sensação de liberdade e confiança

Quando a pessoa encontra-se depressiva, ela parece muitas vezes estar presa dentro do próprio corpo e isso prejudica o combate da depressão. Com todas as técnicas de Fisioterapia disponíveis é possível sentir-se mais disposta ou disposto, resultando em uma sensação de liberdade e confiança de poder você mesmo realizar atividades com o próprio corpo, ajudando e muito na cura dessa doença tão difícil e que pode marcar de forma negativa a vida de alguém.

Percebeu como a Fisioterapia pode ajudar a combater a depressão? É uma área que trabalha muito com o corpo, mas sabemos que quem comanda o corpo é a mente, por isso muitas técnicas podem melhorar a vida do paciente.

Estabilidade do peso

Outro problema enfrentado por quem possui depressão é a oscilação, ou seja a perda ou ganho excessivo de peso em um curto período de tempo.

Em casos de ganho de peso, o que acontece é que a pessoa possui diversos problemas e não encontra solução, portanto a ansiedade que é proveniente da depressão acaba sendo “descontada” na alimentação, que muda radicalmente e passa a integrar alimentos que na maioria das vezes não fazem bem à saúde, e isso causa o aumento do peso.

A situação é semelhante em casos de oscilações e perda de peso , pois o psicológico fica abalado e a pessoa alterna entre uma semana comer demais e na outra não comer nada, ou como ela sente-se triste acaba por não se alimentar, pois acredita não precisar de nutrientes ou até mesmo por não sentir vontade alguma de fazer as refeições.

Ambos os casos devem ser tratados com médicos especialistas e nutricionistas, porém a Fisioterapia auxilia no sentido de promover o movimento corporal, massagens, pilates e outras áreas que melhoram principalmente em situações de ganho de peso ou oscilações.

No caso de perda de peso, o ideal é procurar um profissional de nutrição, psicólogo ou médico psiquiatra, pois é uma situação mais delicada pelo simples fato que a pessoa que perde peso demais pode acabar adoecendo, pela falta de nutrientes necessários para o funcionamento saudável do organismo.

Conclusão

A busca da cura da depressão é um caminho difícil e árduo, tanto para o paciente quanto para os familiares, por tudo que ocorre diante de todo o processo, entretanto não é impossível, com dedicação e força de vontade se alcança resultados satisfatórios e a cura deste mal.

Tem que haver um olhar mais estudioso e respeitoso dos demais profissionais da saúde sobre essa doença que vem aumentando ainda mais os casos conforme os anos passam e consequentemente, orientando as pessoas dos cuidados corretos que devem ser tomados.

É importante saber que a Fisioterapia auxilia na melhora, porém um médico especializado deve ser consultado antes mesmo de procurar um fisioterapeuta, só assim o tratamento será feito de forma correta e a cura será alcançada.

Espero que tenham gostado e termino este estudo com uma frase de reflexão: “Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado”. – Rui Barbosa.

Pode ter certeza, que somente com luta e dedicação na nossa vida chegaremos às vitórias que precisamos alcançar nesta trajetória, seja aprendendo com os sofrimentos, e nas dificuldades. Digo que nada é em vão, tudo é aprendizado e sempre podemos tirar algo de positivo em qualquer situação que enfrentarmos. Por isso tenha força e paciência sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *